Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 15 de agosto de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/08/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Chuvas: cadê as campanhas?

09 JAN 2020 - 23h59
A cena se repete. O início de ano é sempre uma tormenta para quem mora em áreas de risco, bairros mais baixos em relação às área centrais, e, sobretudo, perto de córregos e rios. 
Inundações, alagamentos, perda de objetos pessoais. Tudo por conta das chuvas, ou melhor, das enchentes. 
Bem verdade, que as prefeituras vêm realizando um trabalho na limpeza de bueiros, desobstrução de córregos e alargamento de calhas de rios. O problema é que, ainda assim, muito lixo vai pelas bocas de lobo. A situação crítica chega ao ponto de serem encontrados sofás, geladeiras e outros objetos dentro dos rios. O que não se vê, entretanto, são as campanhas de conscientização. 
Infelizmente elas são necessárias. É preciso lembrar o morador, a todo o instante, não somente no período de chuvas de que jogar lixo nos rios, córregos e bueiros vai reverter em prejuízo para ele próprio. 
Não se vê, com ênfase, esse trabalho preventivo e de cidadania.
Quando acontecem os prejuízos, tenta-se tomar providências. Mas aí já foi tarde. O remédio fica muito mais caro do que o trabalho de prevenção.
O DS trouxe na edição de ontem no jornal impresso, no portal e na Página do Facebook uma grande quantidade de prejuízos provocados pelas chuvas. Famílias que perderam tudo. 
Contabilizaram ontem as perdas com esse grande problema que se repete todos os anos: as enchentes.
Mais do que nunca é preciso prevenção, um trabalho árduo de conscientização.
É evidente que o trabalho prático, a limpeza na rua, é importante. Mas por que não garantir uma prevenção?
Pedindo à população, que é claro não é a única culpada pela obstrução de bueiros, que evite jogar lixo em locais em que poderão provocar poças de água e, consequentemente, enchentes.
Com certeza, a redução dos prejuízos vai existir.
Por ora, a situação na região continua crítica, com muitas perdas de objetos e até uma vida, em Ferraz de Vasconcelos, por conta das chuvas.
Em muitos locais as águas chegaram a um metro de altura e demorou para escoar. O trânsito, como mostrou o DS, travou com imensos congestionamentos.
Espera-se uma solução por parte dos poderes públicos. A situação do jeito que ficou pode ser evitada com ajuda da própria população.
Vamos aguardar um trabalho em equipe das prefeituras no sentido de garantir uma providência sobre as chuvas.
Está aí um desafio importante por parte do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) que ainda não fez, de forma efetiva, um planejamento direto sobre combate às enchentes.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias