Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 23 de julho de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/07/2019
Centerplex Rei Leão
PMMC ORQUIDEAS
PMMC INVERNO
PMMC AGASALHO
PMMC FÉRIAS

CPTM e as privatizações

27 FEV 2019 - 23h59
Não é segredo que o processo de privatização é um dos projetos do governador João Doria (PSDB).
Ele entende que é preciso agilizar o funcionamento dos setores públicos e, para isso, tenta conceder para a iniciativa privada departamentos, que antes eram de responsabilidade do Estado.
Um Estado menor, aliás, tem sido um dos objetivos. 
As despesas com setores do Estado têm sido grandes e o funcionamento “não tem sido a contento”.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem mostrando que a ideia do governador é privatizar as estações de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
A própria companhia confirmou a proposta de conceder para a iniciativa privada cada estação de trem de acordo com a sua viabilidade e características, visando aprimorar a exploração dos espaços de cada uma para atrair os investidores. 
As 12 estações da região vão fazer parte desse projeto.
A ideia de Doria é de que “em contrapartida, os passageiros receberão melhorias como itens de acessibilidade, conforto e comercialização legal de serviços e produtos”.
No dia 4 de janeiro de 2019, em entrevista à Jovem Pan, Doria afirmou que pretende conceder a CPTM à iniciativa privada para melhorar os serviços.
É evidente que, independentemente da responsabilidade (seja da iniciativa privada ou do Estado), o passageiro quer ver o bom funcionamento do sistema ferroviário: trens menos cheios nos horários de pico, estações mais modernas e com maior comodidade, menores tarifas e, sobretudo, cumprimento dos horários estabelecidos.
Em entrevista à Rádio Jovem Pan, Doria, disse que a concessão será total, ou seja, envolvendo todas as estações, incluindo as 12 do Alto Tietê (nove da Linha 11 e 3 da Linha 12).
Para o governo, ao serem concedidas, as estações terão mais condições de monitoramento, de conforto e acessibilidade. 
O próprio Doria reconhece que hoje “as estações não são boas”.
De fato ainda estão distantes do padrão das estações do Metrô. A expectativa é que, as mudanças no formato de administração da rede ferroviária, o passageiro possa ter um padrão de funcionamento melhor.
Afinal os trens da CPTM são um dos meios de transporte no Estado de São Paulo mais utilizados. 
Verdade que nos últimos anos o sistema vem melhorando com mais linhas ferroviárias e melhores trens. Mas ainda está longe do ideal.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias