Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 31 de maio de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/05/2020
PMMC HOSPITAL DE CAMPANHA
PMMC RETOMADA
DIARIO DE SUZANO SOLIDÁRIO

Crescimento de casos

27 MAR 2020 - 23h59
Há uma grande preocupação com o crescimento dos casos e óbitos por conta do coronavírus. O governo do Estado de São Paulo, como tem feito todos os dias, divulgou dados, novamente, preocupantes. 
Na tarde de quinta-feira, só para se ter uma ideia, o número de mortes relacionados ao novo coronavírus no Estado de São Paulo cresceu 163,6% em apenas quatro dias.
Um crescimento vertiginoso e preocupante ainda se compararmos com outros dias da semana.
No último domingo (22), por exemplo, o Estado registrava 22 mortes, contra 58 nesta quinta-feira (26). Os óbitos confirmados também apontam um avanço da doença para outras regiões de São Paulo.
No domingo apenas a Capital Paulista registrava óbitos relacionados à doença. Já nesta quinta-feira, os municípios de Vargem Grande Paulista, Guarulhos, Taboão da Serra e Ribeirão Preto também contabilizam pelo menos um óbito.
Dos 10 novos óbitos contabilizados, 7 são homens (36, 63, 73, 76, 80, 86 e 92) e 3 mulheres (64, 77, 77). Nove são da Capital e o paciente de 36 anos, que apresentava comorbidades, é do município de Ribeirão Preto. Tudo isso em relação ao balanço de quinta-feira.
Há também uma grande preocupação com o número de pacientes graves em UTI de hospitais públicos e privados, notificados no sistema da secretaria. 
São, pelo menos, 84 pessoas internadas, pelo balanço de quinta-feira.
O Estado também registra 1.052 casos confirmados da doença. 
Conforme mostrou o DS, na edição de ontem, recursos estão sendo liberados para tentar conter a doença no Estado e no País.
O governador João Doria anunciou, nesta semana, que o Estado vai repassar R$ 218 milhões para enfrentamento ao coronavírus em 80 cidades paulistas com mais de 100 mil habitantes.
É um valor importante para garantir a compra de equipamentos e preparação dos agentes de Saúde no enfrentamento ao vírus.
O dinheiro começa a ser transferido aos municípios para instalação de centros de referência e hospitais de campanha.
As cidades mais populosas foram priorizadas porque são polos regionais em atendimento de Saúde. 
A divisão dos recursos será feita por critério demográfico – quanto maior a população, maior o repasse – e referenciada no piso de atenção básica do SUS, que é de R$ 4. Serão três faixas populacionais de repasses referenciados em pisos de R$ 8, R$ 10 e R$ 12 por habitante. O combate deve ser mantido. Não se pode “baixar a guarda” em momento tão delicado.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias