Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 12 de dezembro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 11/12/2018
MRV DEZEMBRO - 13º EM DOBRO
PMMC DEZEMBRO - SALA DO EMPREENDEDOR
PMMC BAZAR SOLIDARIO 2018

Discussões sobre a alça do Rodoanel

23 NOV 2018 - 23h59
Nesta semana, o DS fez entrevista ao vivo com o presidente da Associação de Corretores de Imóveis de Suzano (Acoris), Ademilson Bernardes, e o diretor da entidade, Roberto Saito.
Novamente um dos assuntos em pauta foi a construção da alça do Rodoanel Mário Covas. A polêmica ainda “paira” no ar para saber se será na Estrada dos Fernandes ou na Rodovia Henrique-Eroles (SP-66). 
A necessidade de um acesso é nítida. O motorista que sai do ABC não consegue, por exemplo, sair em Suzano. Não existe acesso.
Os dois representantes da Acoris afirmaram,na entrevista, que embora a associação conte com ideias plurais e divergentes, a melhor escolha em sua concepção seria manter o projeto na região Chácara Sete Cruzes - onde se encontra a Estrada dos Fernandes.
A viabilidade do projeto Via Mar, que ligaria Suzano a Santos, também foi comentada durante a participação. 
De acordo com Bernardes, a atual defesa pelo acesso ao Rodoanel fixado na Estrada dos Fernandes se dá pela perda de êxito da indústria em Suzano, ligada à questão viária. 
Não há dúvida de que é preciso criar oportunidade para logística e empresas de baixo impacto (ambiental, na área). 
Segundo a Acoris, a alça na SP-66 (Avenida Major Pinheiro Fróes) já se inviabilizaria pela malha viária atual. 
Os trabalhos na Chácara Sete Cruzes são pontuados, inclusive, no mais recente Plano Diretor da cidade, segundo a entidade.
O certo é que, seja na Estrada dos Fernandes ou na SP-66, existe urgência na necessidade da construção dessa saída em Suzano.
O diretor da entidade também apontou, durate a entrevista, que a eventual modernização da área, com empresas que respeitem critérios da legislação ambiental, tende a inibir ocupações desordenadas recorrentes em área rural. 
Para a Acoris, é uma questão que envolve também o Estado, porque a alça vai beneficiar outras cidades. O acesso na SP-66 vai estrangular uma malha viária já definida. 
Apesar do parecer, os representantes da associação reafirmaram que estão abertos a novos diálogos com demais partes para desenvolver estudos que justifiquem mudança no projeto. 
Além da alça de acesso na Estrada dos Fernandes, o projeto Via Mar, que ligaria Suzano a Santos, também foi comentado pelos convidados que apontaram as benesses que a iniciativa traria. Não há dúvida de que é um projeto essencialmente, mas que esbarra no custo da obra. 
O importante, nesse momento, é buscar alternativas para o trânsito da cidade que deve ser planejado.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias