Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 15 de outubro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/10/2019
Villa Europa
Secom Segurança

Embriaguez ao volante

10 OUT 2019 - 23h59
O combate à embriaguez ao volante deve começar por um amplo trabalho de educação, conscientização e fiscalização. A fiscalização, em estradas e rodovias, está aumentando e o número de autuações cresceu.
Na semana passada, o DS trouxe reportagem mostrando que pelo menos 273 motoristas foram multados por dirigir embriagados na região. Os dados são do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran), e correspondem ao período de janeiro a maio desse ano.
Os dados são das cinco principais cidades da região. Mogi das Cruzes é a cidade que mais apresenta motoristas multados. Foram 117 multas aplicadas em 2019, no período de janeiro a maio. Em 2018 inteiro, a cidade teve 178 motoristas multados por embriaguez.
A reportagem mostrou também que Suzano aparece em segundo lugar, com 48 multados no período citado. Em 2018, Suzano registrou 119 multas aplicadas.
Itaquaquecetuba contabilizou 46 multas aplicadas através da 'Operação Lei Seca'. No ano passado Itaquá registrou 94 multados. Ferraz de Vasconcelos vem em seguida, com 41 multas aplicadas entre janeiro e maio de 2019.
Em 2018 foram 82 motoristas multados. Em último lugar, entre as cinco principais cidades, aparece Poá, com 21 multas no período citado. No ano passado inteiro, foram 49 multados.
O Detran reitera que os dados são referentes à 'Operação Lei Seca', realizada pela Polícia Militar. O departamento, entretanto, disse que o Departamento de Estrada e Rodagem (DER) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) também realizam fiscalizações, o que com certeza elevará o número de multados na região.
Em Suzano, a Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana informou que tem cooperado com ações de fiscalização da 'Operação Lei Seca'. 
As ações são realizadas periodicamente com frequência semestral e tem como objetivo conscientizar os motoristas e autuar eventuais infratores flagrados. 
Muitos especialistas afirmam que o motorista brasileiro só entende quando mexe no bolso. Mesmo para quem se recusa a fazer teste de alcoolemia, para quem não cai no índice de crime, não sai barato. 
A embriaguez ao volante reflete um misto de dependência do álcool e crença na impunidade.
No Brasil, a dependência de álcool é muito grande. Pode ser que haja motoristas que são dependentes de álcool, que não reconhecem o problema, não buscam tratamento. Ou mesmo aqueles que buscam. O álcool é uma droga socialmente aceita e até estimulada, como nas propagandas de cerveja, dizem especialistas que tratam do assunto.
É importante, no entanto, que a fiscalização seja mantida e venha garantir a redução dos casos de acidentes e, principalmente, de mortes no trânsito das metrópoles e das cidades menores.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias