Envie seu vídeo(11) 4745-6900
segunda 06 de dezembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 05/12/2021

IBGE: óbitos e nascimentos

19 NOV 2021 - 05h00

Levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o número de registros de óbitos no Brasil em 2020 chegou a 1.513.575. Considerando-se apenas os registros com sexo e idade informados, são 1.510.068 óbitos, com alta anual de 14,9%, ou 195.965 mortes a mais que em 2019. Tanto em percentual quanto em números absolutos, foi a maior alta desde 1984. O aumento percentual de óbitos entre os homens (16,7%) superou o das mulheres (12,7%). A maior parte dos óbitos foi na faixa dos 60 anos ou mais de idade. Para as idades abaixo de 20 anos, houve redução dos óbitos entre 2019 e 2020.
Cerca de 73,5% dos óbitos de 2020 ocorreram em hospital, 20,7% em domicílios e em 5,8% em outro local de ocorrência ou sem declaração. Além disso, 99,2% dos 195.965 óbitos ocorridos a mais, de 2019 para 2020, foram óbitos por causas naturais.
Segundo informações do IBGE, a pandemia de Covid-19 fez o Brasil registrar em 2020 o maior crescimento anual de mortes desde 1984.
As estatísticas são do Registro Civil 2020, do IBGE, divulgadas na manhã desta quinta-feira, 18. Os óbitos cresceram 14,9% sobre os números de 2019. Já os nascimentos tiveram queda de 4,7% no mesmo período.
Outro dado importante é sobre o número de casamentos. Teve, entre 2019 e 2020, uma queda histórica, de 26,1%. Foi a maior redução desde o início da divulgação dessas estatísticas de registro civil, em 1974. Tradicionalmente, o número de divórcios também é divulgado como parte das estatísticas. No entanto, por causa da pandemia, não foi possível coletar a tempo esses registros. 
A pandemia trouxe reflexos nos números, até por conta da quantidade de pessoas mortas pela doença. Lamentavelmente foram mais de 600 mil em todo o País.
Com a queda nos casos e nos óbitos, aos poucos, o setor da economia vai reabrindo.
Mas é importante ressaltar. A pandemia ainda não acabou e, por isso, é importante seguir as recomendações das autoridades de saúde.
Embora a pesquisa não registre as causas diretas das mortes, o impacto da pandemia é claro. Dentre os óbitos extras ocorridos no ano passado, 99,2% foram por causas naturais. A maioria ocorreu entre os maiores de 60 anos, a faixa etária mais vulnerável à Covid. O trabalho mostra ainda que 73,5% das mortes aconteceram em hospitais.
A queda do número de nascimentos entre 2019 e 2020, segundo os pesquisadores do IBGE, é expressiva, embora seja mais difícil de ser relacionada diretamente à pandemia. De acordo com o levantamento, o número pode estar revelando atraso nos registros por causa do isolamento social, das restrições da mobilidade e do fechamento dos cartórios.
Os números do IBGE são importantes porque garantem ao poder público uma forma de desenvolver políticas públicas e ações de enfrentamento aos casos de Covid.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias