Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 30 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/09/2020
SOUZA ARAUJO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo
ÚNICCO POÁ

Mais empregos

21 JUN 2016 - 08h00

O desemprego continua sendo um dos grandes problemas, apontados em praticamente todas as pesquisas de opinião.

Na edição de domingo, o DS trouxe um perfil de quem está em busca de trabalho. Os dados da Secretaria do Estado do Emprego e Relações do Trabalho (Sert) revelam, por exemplo, que o desemprego entre os adultos de 30 a 39 anos é o mais alto da média em Suzano.

Essa faixa etária é a maioria também da População Economicamente Ativa (PEA) e, por isso, tem sido a mais prejudica.

Com os dados em mãos é possível que as autoridades iniciem, sobretudo, um trabalho mais direto para atender as pessoas nesse perfil. Mas é evidente que o “ataque” ao desemprego deve atingir pessoas de todas as idades.

Os dados obtidos pelo DS, na reportagem divulgada no domingo, têm como base os cadastrados no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) municipal, que possui 27.855 pessoas inscritas em busca de emprego. Os homens também são maioria entre os disponíveis no mercado de trabalho, sendo 50,4%, total de 14.038.

Depois da faixa etária de 30 a 39 anos, os jovens que possuem de 18 a 24 anos e que estão ingressando no mercado de trabalho são o segundo grupo com mais dificuldade para conseguir um emprego. A funcionária da agência Appa Empregos, de Suzano, Thais Fernandes da Silva, conta que para esse grupo o principal obstáculo é a experiência.

Os números do desemprego no Brasil indicam o tamanho da responsabilidade que o novo governo precisa ter com as contas públicas, de forma a recuperar a nossa credibilidade e voltar a atrair investimentos.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de desempregados subiu em todas as regiões do País no primeiro trimestre do ano, com uma taxa média de10,9%.

No Nordeste, o índice já chega a 12,8% e a Bahia registra o percentual absurdo de 15,5% da população desempregada.

É importante, com dados em mãos, combater o desemprego garantindo, cada vez mais oportunidades. Os levantamentos de perfis servem para combater um problema “crônico” que tem afetado, além das pessoas com 30 a 39 anos, muitas outros com idades diversas.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias