Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Logo de aniversário de 60 anos
quinta 13 de maio de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/05/2021
CHECK UP - PÓS COVID

Nos primeiros sintomas

24 ABR 2021 - 05h00
Desde julho do ano passado, o Ministério da Saúde mudou a estratégia de combate ao novo coronavírus: ao invés do paciente com suspeita aguardar em casa a manifestação mais presente dos sintomas, a orientação agora é para que a pessoa procure atendimento médico tão logo os sinais da Covid-19 sejam percebidos. A ideia é evitar que pacientes sejam atendidos já com casos mais graves. 
Especialistas afirmam que as evidências no Brasil e no mundo mostraram que, quando se busca o atendimento numa fase inicial da doença, a gente consegue evitar o agravamento. As evidências apresentam resultados consistentes nesse sentido. Por isso a estratégia no ministério mudou. Antes se dizia que o paciente, ao sentir sintomas leves, permanecesse em casa. Só que a velocidade de agravamento pode ser muito rápida, e o paciente pode chegar ao hospital para ir direto para a UTI e ser intubado.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem mostrando que as prefeituras do Alto Tietê orientam pacientes com suspeitas de Covid-19 na busca por atendimentos médicos.
Foi uma recomendação que passou a ser seguida após determinação do Ministério da Saúde.
Os pacientes precisam atentar-se em sintomas gripais como tosse, febre, falta de ar, perda de paladar, olfato e outros problemas semelhantes. Além dos hospitais, unidades básicas de saúde da região também realizam atendimentos. É o que ocorre em Suzano, conformou mostrou a reportagem, onde todas as unidades de saúde do município realizam atendimentos de pacientes com sintomas do novo coronavírus.
Em casos mais graves, como falta de ar, a Secretaria de Saúde do município pede para que o paciente procure o Pronto Socorro Municipal (PS) ou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).
Em Ferraz de Vasconcelos, o paciente também tem à sua disposição as 13 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município, além do Hospital Regional Doutor Osíris Florindo Coelho. A prefeitura destaca que neste período do ano é comum os aparecimentos de resfriados e gripes, mas febre, tosse, dor de cabeça e sintomas de síndrome gripal devem ser acompanhados com mais atenção.
Segundo especialistas, aprendeu-se ao longo da pandemia que, ao aguardar em casa, os pacientes chegam aos hospitais com quadros clínicos mais agravados, e que em alguns casos dificultam a regressão de seu estado. Portanto, é importante seguir as recomendações para que se evitem maiores problemas de saúde.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias