Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 22 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/10/2020
PMMC OUT ROSA
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC MULTI 2020
SOUZA ARAUJO
Pmmc Sarampo Outubro

O Carnaval e o mosquito

05 FEV 2016 - 07h00

A passagem de milhares de turistas por capitais com tradicionais carnavais de rua em Estados com alto número de casos de bebês nascidos com microcefalia e suspeita de ligação com o zika vírus pode representar um "coquetel explosivo" e ajudar a espalhar ainda mais a doença pelo País, alerta a coordenadora de virologia clínica da Sociedade Brasileira de Infectologia, Nancy Bellei. Até o momento há 3.530 casos de microcefalia relacionados ao zika em 21 Estados. O alerta foi divulgado, esta semana, em reportagem na BBC.

Nas cidades da região, o Carnaval acontecerá apenas em Mogi das Cruzes. Os demais municípios cancelaram a festa.

Para os especialistas, o Carnaval reúne fatores de risco preocupantes para o aumento da transmissão do zika, em um momento em que a epidemia ainda se encontra em curva de ascensão no Brasil.

Neste ano, a folia será menos animada para 1.438.872 brasileiros que moram em 11 cidades do País que decidiram trocar os investimentos públicos nas festas de Carnaval pelo reforço no combate do mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a chikungunya e o zika vírus.

Nove das onze cidades que decidiram barrar o Carnaval para investir mais no combate à epidemia estão na região Sudeste. Em 2015, a região registrou mais de 60% das notificações de dengue, segundo o balanço do Ministério da Saúde.

As outras duas cidades são no Paraná, região Sul. Em todo o País, cerca de outras 40 cidades também decidiram cancelar o Carnaval, mas por motivos de redução de despesas ou tragédias naturais.

Em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, onde moram 666.323 pessoas, a Prefeitura iniciou um mutirão para eliminar focos do mosquito em terrenos e casas vazias. No primeiro dia de mutirão, foram 87 auto de infração e 30 notificações.

As preocupações devem existir ainda mais nesta época do ano em que os fatores de risco tornam-se maiores. As cidades em todo o País estão realizando ações no sentido de tentar barrar o avanço de contaminações. Mas o trabalho será cada vez mais árduo. Precisará da colaboração de todos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias