Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 28 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
PMMC COVID SAÚDE

O desafio do emprego

27 OUT 2015 - 07h00

Garantir o maior número de empregos tem sido um desafio para as cidades da região. Pelos Índices do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego a situação no Alto Tietê continua instável, sem a elevação do número de novas oportunidades de trabalho.

O DS trouxe reportagem, na semana passada, mostrando a necessidade da criação de novos empregos, por conta da queda no número da geração de postos de trabalho.

A situação preocupa. A crise do País ainda reflete diretamente nas cidades da região. Apesar de todos os programas de geração de emprego, a situação ainda não parece favorável.

O desemprego ocorre quando um trabalhador é demitido ou entra no mercado de trabalho (está a procura de emprego) e não consegue uma vaga de trabalho. É uma situação difícil para o trabalhador, pois gera problemas financeiros e, em muitos casos, problemas psicológicos (depressão, ansiedade, etc.) no trabalhador e em sua família.

As causas do desemprego são muitas: baixa qualificação do trabalhador ( muitas vezes há emprego para a vaga que o trabalhador está procurando, porém o mesmo não possui formação adequada para exercer aquela função), substituição de mão de obra por máquinas (nas últimas décadas, muitas vagas de empregos foram fechadas, pois muitas indústrias passaram a usar máquinas na linha de produção).

A crise econômica é, sem dúvida, uma das grandes causas. Quando um país passa por uma crise econômica, o consumo de bens e serviços tende a diminuir. Muitas empresas demitem funcionários como forma de diminuir custos para enfrentar a crise.

Muitos especialistas dizem que a criação de emprego é uma expressão da responsabilidade social das organizações, que têm gerado uma atenção e empenho muito maior.

Os especialistas defendem também que a sociedade deve ser incluída neste combate, através das instituições da economia social, “desenvolvendo e animando projetos de empreendedorismo solidário e de emprego protegido, em particular para quem tem maiores dificuldades em ter uma oportunidade de emprego no mercado mais concorrencial”. A criação de novos postos de trabalho, com dignidade, mas inclusivos, “representa um enorme desafio, no qual a criatividade e a persistência destas organizações é essencial”.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias