Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 30 de novembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/11/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC NOVEMBRO AZUL
PMMC MULTI 2020 NOV

Olimpíadas e seus riscos

22 JUL 2016 - 08h00

Mesmo sem histórico de atentados terroristas, o Brasil precisa ficar em alerta. O atentado em Nice, na França, alarmou as autoridades brasileiras para o risco de episódios violentos no Brasil durante as Olimpíadas, que começam em 5 de agosto. Para especialistas, há erros pontuais nas ações do governo para prevenir que o País seja alvo de possíveis ameaças.

Especialistas dizem que há o risco de terrorismo no Brasil porque o País vai abrigar um evento do porte dos Jogos Olímpicos. Os brasileiros não seriam alvos diretos, mas os Jogos serviriam de palco, onde atletas internacionais poderiam ser atacados.

No Brasil, haverá atletas de Israel, da França e dos Estados Unidos, que tradicionalmente são vistos como alvos potenciais pelo Estado Islâmico ou por outros grupos terroristas.

Ontem, a Polícia Federal prendeu dez pessoas suspeitas de planejarem atos terroristas no Brasil. As prisões ocorrem 15 dias antes do início da Olimpíada no Rio de Janeiro.

Eles passaram de simples comentários sobre Estado Islâmico e terrorismo para atos preparatórios.

As prisões, conforme o Ministério da Justiça explicou, ocorreram em 10 estados e todos os detidos são brasileiros. O grupo se comunicava por aplicativos de trocas de mensagens.

Em nota, a Polícia Federal informou que cerca de 130 policias participaram da ação. Os mandados de prisão foram executados nos estados do Amazonas, Ceará, da Paraíba, de Goiás, Minas Gerais, do Rio de Janeiro, de São Paulo, do Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Foram dez prisões temporárias, duas conduções coercitivas e 19 buscas e apreensões.

O especialista em segurança internacional Héctor Luis Saint-Pierre, da Unesp, opina que a probabilidade de o Brasil sofrer um ataque agora é a mesma que os Estados Unidos teriam em 2001 ou a França antes dos atentados no final do ano passado.

Segundo a PF, esta é a primeira operação policial após a publicação da Lei 13.260/2016, que trata de terrorismo.

As investigações tiveram início em abril com o acompanhamento de redes sociais pela Divisão Antiterrorismo da Polícia Federal.

Os envolvidos participavam de um grupo virtual denominada Defensores da Sharia e planejavam adquirir armamentos para cometer crimes no Brasil e até mesmo no exterior.

A segurança nos Jogos Olímpicos tem de ser reforçado porque, nesse caso, não estão contabilizados apenas habitantes do País, mas de todo o mundo.

Os Jogos Olímpicos já foram alvo de atentados terroristas. Em 1972, durante os Jogos de Munique, 11 membros da delegação de Israel e um policial alemão foram mortos por militantes do grupo Setembro Negro, ligado à Organização para a Libertação da Palestina (OLP). Em 1996, em Atlanta, duas pessoas morreram por causa da explosão de uma bomba no Parque Olímpico.

No Brasil, a segurança vai ser reforçada para que os jogos transcorram bem.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias