Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 16 de setembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/09/2019
Centerplex 12/09 a 18/08
PMMC CIAS

PIB

29 AGO 2019 - 23h59
O PIB é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país, estado ou cidade, geralmente em um ano. 
Todos os países calculam o seu PIB nas suas respectivas moedas.
O PIB mede apenas os bens e serviços finais para evitar dupla contagem. 
Especialistas afirmam como exemplo: se um País produz R$ 100 de trigo, R $200 de farinha de trigo e R$ 300 de pão, seu PIB será de R$ 300, pois o valor da farinha e do trigo estão embutidos no valor do pão.
Os bens e serviços finais que compõem o PIB são medidos ao preço em que chegam ao consumidor. 
Dessa forma, levam em consideração também os impostos sobre os produtos comercializados.
O PIB não é o total de riqueza existente no País. Esse é um equívoco muito comum, pois dá a sensação de que o PIB seria um estoque de valor que existe na economia, como uma espécie de tesouro nacional.
Mas na realidade o PIB é um indicador de fluxo de novos bens e serviços finais produzidos durante um período. Se um país não produzir nada em um ano, seu PIB será nulo.
Ontem, a Agência Brasil divulgou reportagem mostrando que a estratégia adotada pelo governo, de crescimento com responsabilidade fiscal, vai se mostrando acertada, na avaliação da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, em nota divulgada para analisar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB registrou crescimento de 0,4% no segundo trimestre deste ano, na comparação com o trimestre anterior.
Apesar do forte ajuste nas contas públicas, representada por uma queda de 1% no consumo do governo, o crescimento no trimestre foi positivo e acima das projeções de mercado, informou a secretaria na Nota Informativa – Resultado do Crescimento do PIB. 
De acordo com a secretaria, as instituições financeiras esperavam crescimento de 0,2% (pesquisa Focus).
A secretaria destaca, no entanto, que o cenário econômico continua desafiador. 
O ajuste fiscal em curso, a baixa produtividade da economia brasileira e a incerteza da conjuntura internacional sugerem ainda um longo caminho a percorrer. Mas não deixa de ser importante frisar que, a despeito desses desafios, a conjuntura brasileira hoje mostra-se mais favorável do que era há alguns meses.
O aumento do PIB pode garantir crescimento na economia do País. A situação de incertezas interrompe investimentos. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias