Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 27 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/10/2020
PMMC MULTI 2020
PMMC OUT ROSA
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
SOUZA ARAUJO
PMMC COVID VERDE

Previdência em questão

17 MAI 2016 - 08h00

Olhos e ouvidos de trabalhadores e sindicalistas estão voltados para um possível anúncio do presidente interino Michel Temer (PMDB) para as novas regras da aposentadoria.

Os rumores de que será definida uma idade mínima, talvez sem levar em consideração o tempo de trabalho, preocupa.

Ontem, apesar de nenhum anúncio oficial ter sido decidido, os representantes de centrais sindicais se reuniram com Temer manifestando preocupação com a proposta defendida pelo novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de criar uma idade mínima para aposentadoria.

É fato que o sistema previdenciário no Brasil está “estrangulado”.

O Executivo Federal tem de disponibilizar uma grande quantidade de dinheiro para honrar compromissos com os assegurados. O pior: a arrecadação vem caindo e não há perspectivas de melhoras em prazo rápido. Por isso, a preocupação é grande, principalmente a quem está próximo de se aposentar.

Mas, ontem, dizendo-se dispostos ao diálogo, os sindicalistas avaliam que há uma série de medidas que podem ser tomadas antes de se pensar em alterar as regras da previdência, e repetem a defesa de que os trabalhadores não podem pagar a conta da crise econômica.

Grandes entidades que representam a categoria e condenaram o processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), não participam do encontro. É o caso da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

A Força Sindical, que participou do encontro, acha que para resolver a situação há outros caminhos como o fim das desonerações e a regularização dos jogos com direcionamento de impostos para a previdência.

Para a entidade, idade mínima é prejudicial, porque pode penalizar os mais pobres, aqueles que começam a trabalhar antes.

É importante, nesse momento, que os trabalhadores estejam abertos à discussão.

Os debates sobre o tema devem seguir, mas, nesse momento, é importante ouvir a opinião de todos os setores envolvidos para garantir uma decisão democrática sobre um assunto tão minucioso.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias