Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 20 de janeiro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/01/2020
CENTRO MÉDICO
CENTERPLEX 16 A 22/01

Qualidade de vida

13 DEZ 2019 - 23h59
A décima edição do Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS) foi divulgada esta semana na Assembleia Legislativa. O IPRS é um indicador que mede o desenvolvimento humano dos municípios paulistas. É elaborado pela Fundação Seade em parceria com o Instituto do Legislativo Paulista (ILP) e a Assembleia Legislativa. Assim como o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), da ONU, o IPRS tem três grandes linhas de análise: riqueza, escolaridade e longevidade.
O IPRS foi criado pela Assembleia Legislativa em 2001, quando o hoje deputado federal Vanderlei Macris (PSDB) era presidente do Legislativo paulista. Macris relembra sua motivação para criar o índice. 
O DS trouxe, na edição de ontem, reportagem mostrando que o Alto Tietê registrou evolução quanto a qualidade de vida das cidades, segundo pesquisa do Índice Paulista de Responsabilidade Social. O estudo, divulgada ontem, analisa três índices: “riqueza”, “longevidade de vida” e “escolaridade”, referentes ao ano de 2018. Dos municípios listados como ‘em transição’, Suzano aparece em sétimo no ranking.
O estudo é divulgada desde o ano 2000. Para chegar ao resultado da pesquisa, o índice divide as cidades do Estado em cinco categorias, de acordo com a análise dos dados “riqueza”, “longevidade” e “escolaridade”.
A reportagem mostrou os dados de Suzano. No estudo divulgado recentemente, a cidade aparece em sétimo lugar na categoria “transição”. As cidades nessa categoria possuem renda baixa, mas alto índice de escolaridade e/ou longevidade. Na pesquisa de 2016, o município suzanense estava incluso na categoria “vulnerável” (a pior entre as cinco categorias). 
Neste estudo mais recente, a cidade registrou um aumento de 7 pontos no índice de escolaridade. Em relação à riqueza, o município 38 pontos e 68 pontos em longevidade de vida.
Os números divulgados mostram uma evolução do Estado de São Paulo. Há uma diminuição dos municípios vulneráveis e um aumento dos dinâmicos. 
Houve uma relativa estabilidade entre os municípios em transição e aumentaram os equitativos. O número de municípios desiguais aumentou, mas diminuiu a população alcançada.
O objetivo do IPRS é orientar os gestores públicos no direcionamento de políticas públicas em áreas com maior demanda. O presidente da Assembleia Legislativa, Cauê Macris, destacou o papel do índice. O planejamento é o que leva a melhorar". Das categorias em que classificam cada município do Estado, a melhor denominada como “dinâmico”. Quem está nessa lista apresenta os três índices em alto nível. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias