Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 20 de maio de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/05/2019
PMMC CAMPANHA DE AGASALHO
PMMC MAIO AMARELO
CENTERPLEX 16 A 22
PMMC GRIPE
GOVERNO DO ESTADO - ICESP

Queda de raios

14 JAN 2019 - 23h59
A falta de pára-raios, em épocas de temporais, pode representar sérios prejuízos, pois a descarga elétrica de um raio sobre uma antena (televisão, rádio) ou sobre um poste de energia elétrica causa a queima de equipamentos domésticos (eletrodomésticos, computadores, etc).
O raio representa também graves riscos para as pessoas, principalmente aquelas surpreendidas debaixo de árvores ou em áreas descampadas, ou ainda, que estejam trabalhando próximo a estruturas metálicas. Por ano, quase mil pessoas são vítimas de raios em todo o País - não há uma estatística precisa. A maioria sobrevive, porque são atingidas indiretamente, por uma faísca lateral ou porque estão próximas ou encostadas no ponto que sofreu o choque direto.
O raio é uma descarga elétrica que ocorre entre a nuvem carregada de eletricidade e a terra, mais precisamente entre a nuvem e o ponto mais próximo que esteja na terra (normalmente pára-raios existentes nos edifícios). Na ausência do pára-raios a descarga poderá ocorrer sobre árvores isoladas, postes, mourões de cerca, etc, principalmente nas áreas rurais.
Na edição de domingo, o DS trouxe reportagem mostrando que, com a chegada do Verão e as fortes chuvas, o Alto Tietê registrou a queda de 3.081 raios. Os dados da pesquisa se referem ao período de 21 de dezembro de 2018 a 3 de janeiro de 2019 - 13 dias. A cidade com mais descargas é Mogi das Cruzes, com 1.380, e a menor foi em Ferraz de Vasconcelos, totalizando 20. As informações foram divulgadas pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). 
É importante que o morador tome certo cuidado com os riscos que podem acometer nesta época.
Só para se ter uma ideia, entre 2011 e 2017, caíram no Brasil quase 78 milhões de raios, segundo levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Muitos deles, infelizmente, foram fatais – para se ter ideia, a cada 50 mortes por raio no mundo, uma ocorre por aqui. Daí a importância de se informar melhor sobre descargas elétricas.
Especialistas explicam que os raios são uma descarga elétrica que ocorre entre as nuvens e o solo (ou entre uma nuvem e outra), em decorrência da polarização das primeiras, por conta de uma tempestade, por exemplo. O relâmpago é o clarão que a gente vê, devido à rápida movimentação dos elétrons. Como eles se movem muito rápido, também se aquecem, gerando barulho, no caso, trovão.
É importante ficar em local seguro para evitar acidentes. Os lugares mais seguros são dentro de casa ou de um prédio, desde que você fique longe das janelas ou portas, e também de condutores de energia, como telefones com fio (celular é seguro), canos e metais em geral, além de equipamentos eletrodomésticos, como TV ou ar condicionado, ligados. Durante uma tempestade, tire os aparelhos da tomada e fique longe do perigo até passar. Pelo menos, 15% das mortes decorrentes de raios ocorrem com as pessoas dentro de casa.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias