Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo

Redução de acidentes

30 SET 2015 - 08h00

Reduzir os acidentes de trânsito tem sido uma das tarefas difíceis por parte das autoridades. Ontem, foi divulgado Estudo da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) revelando que, após oito meses de campanha de conscientização, aumentou o número de pessoas que usam o cinto de segurança no banco traseiro. Em dezembro de 2014, 54% dos passageiros não utilizavam o equipamento. Em agosto deste ano, o índice caiu para 38%.

Não há dúvida de que o cinto de segurança é o meio mais eficaz que se dispõem para reduzir o risco de ferimentos graves e mortes em acidentes de automóvel. Para sua própria proteção e dos demais ocupantes do veículo, o cinto de segurança deve ser utilizado quando o veículo estiver em movimento. Gestantes e pessoas fisicamente debilitadas também devem utilizar os cintos de segurança, elas estão mais propensas a ficarem seriamente feridas se não estiverem usando cintos de segurança.

O equipamento é um dispositivo simples que serve para proteger sua vida e diminuir as consequências dos acidentes. Ele impede, em caso de colisão, que seu corpo se choque contra o volante, painel e pára-brisas, ou que seja projetado para fora do carro. Os passageiros sentados no banco traseiro, sem os cintos de segurança, não somente se põem em perigo, como também colocam em perigo os passageiros dos bancos dianteiros. Numa colisão frontal, eles também se moverão para a frente, onde podem bater e ferir o motorista ou passageiro do banco dianteiro.

A pesquisa é importante porque foi feita nas rodovias sob concessão do Estado e nas praças de pedágio, por meio da observação dos ocupantes dos veículos que paravam nesses locais. Mostrou ainda que, no caso de motoristas que não utilizavam o cinto, houve queda de 13% para 9% e, no de passageiros do banco dianteiro, de 16% para 11%.

Estudos da Artesp apontam que colocar o cinto de segurança no banco da frente pode reduzir em 45% o risco de mortes em acidentes. Enquanto que no banco traseiro essa redução pode chegar a 75%. A campanha antecipou as ações da Semana Nacional de Trânsito, comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro.

Além de aumentar os riscos de morte por acidentes no trânsito, a não utilização do cinto de segurança é considerada infração grave pelo artigo 65 do Código de Trânsito Brasileiro e resulta em multa de R$ 127,69.

Por tudo isso, é cada vez mais importante que seja utilizado o equipamento para a redução dos acidentes.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias