Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 25 de maio de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/05/2020
DIARIO DE SUZANO SOLIDÁRIO

Resíduos da construção civil

21 FEV 2020 - 23h59
Na construção civil, o mercado de reaproveitamento de concreto, cerâmica, areia e madeira nas obras tem potencial para gerar 150 mil empregos diretos por ano e erguer prédios, casas e estradas com impacto ambiental reduzido. Atentas ao potencial do segmento, há construtoras que adotam programas de redução de resíduos e, com isso, economizam recursos e seguem padrões de sustentabilidade.
De acordo com a Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção e Demolição (Abrecon), o Brasil produz cerca de 84 milhões de metros cúbicos de resíduos de construção civil e demolição por ano. 
Um montante que, se fosse totalmente reciclado, seria o suficiente para construir sete mil prédios de dez andares, 168 mil quilômetros de estradas ou 3,7 milhões de casas populares.
É importante dar um destino para todo esse material. Na semana passada, o DS divulgou que o novo Ecoponto da avenida Governador Mário Covas Júnior, a Marginal do Una, entrou em operação como projeto-piloto na quarta-feira (19/02).
O local é destinado a atender a população suzanense para o descarte de resíduos da construção civil e materiais recicláveis (exceto objetos de madeira). Esta é a primeira de três estruturas destinadas à sustentabilidade ambiental com entrega prevista em 2020. 
A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas. 
O gerenciamento está a cargo da Secretaria de Meio Ambiente de Suzano, com o apoio de integrantes da Frente de Trabalho.
O Ecoponto fica em uma área de 800 metros quadrados na rua Afonso Nícola Redondo, na Vila Figueira, próximo à Marginal do Una, e conta com área administrativa, rampa para acesso de veículos e duas caçambas para descarte de inservíveis. 
No total, foram investidos R$ 32,5 mil na reforma das estruturas de alvenaria, sistemas hidráulico e elétrico, pintura e outros serviços. 
Os recursos são oriundos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em conjunto com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). 
É importante que a destinação seja feita por meio de iniciativas como estas, no caso do Ecoponto, para reduzir os resíduos da construção civil e, ao mesmo tempo, garantir empregos no trabalho de destinação correta.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias