Envie seu vídeo(11) 4745-6900
sábado 23 de outubro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/10/2021

Segurança nos jogos

05 JUL 2016 - 08h00

Parcerias com o Ministério da Justiça e Cidadania vão garantir a segurança dos Jogos Olímpicos, que começam em agosto. Em São Paulo, ela será reforçada. Para isso, convênios que representam R$ 12,5 milhões em equipamentos e um veículo que serão utilizados pelas polícias de São Paulo durante o grande evento esportivo foram firmados.

Entre os equipamentos transferidos estão scanners e portais de raio-X para detectar possíveis armamentos na entrada dos estádios, num valor de quase R$ 3,8 milhões e R$ 3,6 milhões, respectivamente. Após os jogos, os materiais serão entregues à Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (SAP).

É importante que este reforço na segurança não fique restrito apenas ao período de olimpíada. Nesse momento, é necessário garantir a segurança em qualquer ocasião.

No período olímpico, é importante garantir a segurança. O Ministério também transferirá para São Paulo materiais de proteção individual – como coletes e escudos – e equipamentos não-letais, além do veículo informatizado e equipado com o que há de mais moderno para ações de inteligência. O Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) fará a integração e troca de informações com os centros do Rio de Janeiro e Brasília.

A preparação de São Paulo é importante porque o Estado receberá 10 jogos de futebol, seis do grupo masculino e quatro do feminino.

Nesta semana, a reunião, realizada no CICC, foi feita para apresentar às autoridades o Plano Tático Integrado (PTI) e a operacionalização do percurso da Tocha Olímpica em São Paulo. O PTI vai orientar os trabalhos e promover a atuação integrada entre as forças de segurança federal, estadual e municipal durante os jogos.

Além da parceria que transfere o “veículo inteligente” e os equipamentos, foi firmado um convênio que criou o Comitê Executivo de Segurança Integrada Regional (Cesir), que vai orientar e integrar a atuação da segurança pública, defesa nacional e inteligência em São Paulo, ao longo das Olimpíadas.

No mês passado, o Ministério da Justiça anunciou que os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, terão uma segurança compartilhada: 41% pública e 59% privada. O número é relativo ao número de instalações das Olimpíadas.

As forças públicas, no entanto, serão responsáveis pelas instalações de competições, áreas de treinamento, Vila Olímpica e Vila dos Árbitros, o que corresponde a locais onde estarão cerca de 860 mil pessoas – 82% do público dos jogos. A segurança privada vai atuar somente em áreas administrativas.

É importante que todo trabalho seja feito de maneira a garantir também a segurança de atletas e de quem vai assistir aos eventos esportivos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias