Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 10 de agosto de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 08/08/2020
PMMC  VACINAÇÃO - SARAMPO
Pmmc Mutirão da Catarata
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC ALEITAMENTO MATERNO
PMMC ECOTIETÊ

Sem sarampo até julho

15 FEV 2020 - 23h59
Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina. 
Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade. 
Na semana pasada, o Ministério da Saúde estipulou como meta erradicar o sarampo até julho deste ano. 
Segundo reportagem da Agência Brasil, a declaração do secretário de Vigilância em Saúde (SVS) do ministério, Wanderson de Oliveira, ocorreu após a morte de uma criança de 9 anos no Rio de Janeiro. 
A meta é eliminar com o sarampo até 1º de julho de 2020. Para isso é importante ter adesão da população e dos gestores estaduais e municipais. O trabalho tem de ser em equipe.
Ontem, o ministério lançou o Dia D de vacinação contra o sarampo. O secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, lamentou a morte da criança e acrescentou que a fatalidade serve de alerta para os pais e responsáveis vacinarem as crianças. 
Só para se ter uma ideia, segundo dados do ministério, o Brasil tem, atualmente 337 casos de sarampo registrados e confirmados. 
Foi feita uma campanha de mobilização contra o sarampo no ano passado, mas ocorreu baixa adesão entre os adultos. É importante que a campanha seja reforçada para que o objetivo de erradicar a doença seja alcançado.
O Ministério da Saúde começou a primeira fase da campanha com crianças menores de 5 anos. Depois, numa segunda fase, de 20 a 29 anos. Nessa fase, a vacinação foi muito baixa. Distribuímos 9 milhões de doses de vacina e fizemos pouco mais de 1,8 milhão.
A campanha, cujo Dia D foi ontem, tem como público-alvo pessoas de 5 a 19 anos, mas, após a morte no Rio de Janeiro, o chefe da SVS incentivou a vacinação de crianças a partir de seis meses. 
“A faixa etária de vacinação regular é 1 ano de idade, mas a gente vem desde o ano passado orientando vacinação de crianças acima de 6 meses até 11 meses e 29 dias”. Após esta fase da campanha, uma nova terá início, com vacinação de todas as idades. Há ainda a possibilidade de realizar uma campanha de dupla vacinação, com sarampo e influenza.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias