Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 20 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID LAR

Será o fim das enchentes?

23 ABR 2016 - 08h00

As enchentes que atingiram as cidades da região, entre elas Poá, neste ano trouxeram muitas preocupações e a necessidade da realização de novos projetos.

Nesta semana, o prefeito de Poá, Marcos Borges (PPS), acompanhou o andamento das obras do piscinão em construção no bairro Vila Romana e também a vistoria técnica realizada por um engenheiro da Caixa Econômica Federal (CEF) para medição de serviços executados para liberação de recursos.

Esta obra, aliás, é a grande esperança para a solução das enchentes na cidade. Na avaliação feita nesta semana foi comprovado que o ritmo dos serviços segue o cronograma estabelecido apresentado pela empresa responsável.

A obra será executada dentro da programação, uma vez que com a prioridade em combater enchentes no município, os serviços avançaram nesta gestão.

É evidente que as obras em si não são as únicas soluções. É preciso conscientização da população.

A primeira atitude é não jogar lixo nas ruas e em terrenos baldios. Os resíduos entopem os bueiros e se acumulam nas galerias subterrâneas para onde escoa a água da chuva, reduzindo sua vazão e causando inundações. Materiais plásticos, como garrafas PET e sacos, são os maiores vilões, pois levam anos para se decompor e criam uma espécie de barreira para o fluxo de água. Da mesma forma, não se deve descartar móveis, pneus velhos, galhos de árvores ou entulhos no leito dos rios. Além de poluir o ambiente, eles reduzem a área do rio que dá vazão à água, com risco de transbordamento. Manter o telhado limpo é outra dica, pois evita entupimentos nas calhas que levam a água para os escoadouros apropriados. Manter áreas permeáveis em cada propriedade facilita a infiltração e reduz as inundações, garantem especialistas. Outra alternativa é construir reservatórios para armazenar a água da chuva, que pode ser usada para lavagem de pátios ou regar plantas.

O piscinão (reservatório de contenção de cheias) terá capacidade para 200 milhões de metros cúbicos (m³) de água, com 14 metros de profundidade, em Poá. A previsão é que a obra seja finalizada até dezembro.

A esperança de melhorar a situação dos bairros vizinhos vai se tornando cada vez mais concreta com essa importante obra.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias