Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ

Visão geográfica e ambiental

30 AGO 2016 - 08h00

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou ontem o livro “Brasil: uma visão geográfica e ambiental no início do século XXI”.

O objetivo é ampliar o conhecimento das alterações ocorridas no território brasileiro como resultado das transformações econômicas, demográficas, políticas e ambientais nas últimas décadas.

Composta por nove capítulos escritos por pesquisadores do IBGE, a obra, organizada pela geógrafa Adma Hamam de Figueiredo, aborda pontos relevantes da realidade contemporânea, reinterpretados pela análise geográfica, ao mesmo tempo em que atualiza a edição anterior, lançada em 1995.

Entre os pontos divulgados estão a taxa de fecundidade do País, que caiu de 6,16 filhos por mulher para apenas 1,57 filhos em pouco mais de sete décadas – de 1940 para 2014. Em contrapartida, a expectativa de vida da população aumentou 41,7 anos em pouco mais de um século. Em 1900, a expectativa de vida era de 33,7 anos, dando um salto significativo em pouco mais de 11 décadas, atingindo 75,4 anos em 2014.

A abordagem é sobre a formação territorial e demográfica do País, da relação entre geografia e urbanização, da ocupação do território pela agropecuária, do desenvolvimento local e da diversidade cultural, dando maior visibilidade à formação territorial e demográfica à partir do inicio do século passado.

Os dados destacados fazem parte do capítulo 2 da publicação, onde os técnicos do instituto procuram traçar um breve histórico do processo demográfico, onde faz uma reflexão tanto sobre a transição da fecundidade no país nas últimas décadas quanto sobre a evolução das taxas de mortalidade e de expectativa de vida no período.

Na avaliação do IBGE, essa “radical transformação do padrão demográfico corresponde a uma das mais importantes modificações estruturais verificadas na sociedade brasileira, com reduções na taxa de crescimento populacional (de 2,01% entre 1872 e 1890 para 1,17% entre 2000 e 2010) e alterações na estrutura etária”.

A análise sobre urbanização aborda legislação e empresas de serviços avançados.

A grande importância desta publicação se dá principalmente porque pelos números será possível definir estrategicamente a divisão de recursos, os investimentos previstos e ainda a implementação de projetos em todas as áreas.

A importância dos dados do IBGE é enorme, pois é com esse material coletado que se pensam as políticas públicas do País. Por meio dos estudos é possível entender como se dá o processo de mudanças geográficas e políticas que ocorrem na nação. Até mesmo as perspectivas da população são desvendadas a partir das entrevistas e censos realizadas.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias