Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 01 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 01/10/2020
SOUZA ARAUJO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ

A 100 dias para o início dos Jogos, Rio recebe a chama olímpica na Grécia

28 ABR 2016 - 08h00

A exatos 100 dias para o início dos Jogos do Rio, a chama olímpica finalmente chegou às mãos do Brasil.

A cerimônia no estádio Panatenaico, em Atenas, foi realizada ontem e marcou o fim da passagem da flama pela Grécia para, enfim, ser entregue ao presidente do Comitê Olímpico do Brasil e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, Carlos Arthur Nuzman.

Como já se tornou tradição, o estádio Panatenaico, palco da primeira Olimpíada da era moderna em 1896, recebeu a passagem da chama. Depois de rodar por toda a Grécia, a flama agora é de responsabilidade brasileira. Mas antes de chegar ao País, ela ainda passará pela Suíça, onde ficará até a próxima terça-feira, para, só então, embarcar para o Brasil.

"O Rio está pronto para fazer história. O esporte é nosso mundo, a chama olímpica é nosso norte", disse Nuzman. "Nunca estamos sozinhos. Sem a ajuda do presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach, e toda sua equipe, estaríamos sem rumo. Mas sabíamos que o governo e o povo brasileiros nos apoiariam".

Sem a presença da presidente Dilma Rousseff (PT), que desistiu de ir à Grécia em meio à crise política no Brasil, Nuzman se tornou o representante do País na cerimônia, ao lado do ministro do Esporte, Ricardo Leyser.

E o presidente do COB fez questão de exaltar o clima de união para os Jogos.

"Os Jogos Olímpicos pertencem a todos os povos, a todos os países e à humanidade. Queremos manter a promessa de fazer todas as pessoas participarem dos Jogos. O Brasil aguarda pela chama olímpica com paixão. Vamos levar a experiência olímpica a todos os cantos do País, que é bonito por natureza", comentou.

O evento de ontem seguiu o tradicional protocolo repetido a cada edição da Olimpíada. Com bandeiras da Grécia e do Brasil posicionadas no centro do estádio, crianças interpretaram os hinos nacionais de ambos os países, além do olímpico. Houve apresentação de músicas e danças típicas das duas nações.

A chama olímpica percorreu seus últimos metros em território grego. Depois de percorrer 27 cidades do país nas mãos de 450 condutores, finalmente passou a ser de posse brasileira.

E após uma breve escala na Suíça, chegará ao Brasil, onde rodará por mais de 300 cidades até a cerimônia de abertura, marcada para o dia 5 de agosto.

PIRA - A pira olímpica dos Jogos do Rio não ficará nem no estádio do Maracanã, local das cerimônias de abertura e encerramento, nem no Engenhão, o estádio olímpico. O símbolo da Olimpíada permanecerá aceso na região portuária, que sediará o maior live site - espécie de fan fest - dos Jogos e que terá acesso livre de público. Será a primeira vez na história que a pira olímpica não ficará junto ao estádio que sedia as cerimônias.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias