Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 22 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2020
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Coronel Nunes assume presidência da CBF após nova licença de Del Nero

08 JAN 2016 - 07h00

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou um novo presidente provisório ontem.

Marco Polo Del Nero se reuniu com a cúpula da entidade durante a manhã e apresentou um novo pedido de licença do cargo. Com isso, ele nomeou o coronel Antônio Carlos Nunes como novo mandatário da entidade que dirige o futebol brasileiro. A CBF divulgou uma nota oficial para oficializar a alteração.

Essa foi a terceira mudança na presidência da entidade em pouco mais de um mês.

A nomeação era esperada desde terça-feira, quando Del Nero interrompeu a sua licença de cinco meses para apear o deputado federal Marcus Vicente (PP-ES) da presidência interina.

Vicente havia assumido no início de dezembro, mas teve o mandato abreviado por conduzir a CBF de forma mais independente do que o esperado por Marco Polo, que assumira em abril de 2015 com mandato até 2019.

NOMEAÇÃO

Com a nomeação de Nunes, coronel da reserva da Polícia Militar do Pará, Marco Polo Del Nero tem novamente a garantia de que continuará exercendo o controle sobre a CBF, mesmo licenciado. Antônio Carlos Nunes é aliado e se diz "amigo de longa data" do cartola.

Presidente da federação paraense de futebol há seis mandatos, o coronel Nunes, de 77 anos, foi eleito vice-presidente da CBF pela região sudeste em meados de dezembro. A manobra serviu para tirar do catarinense Delfim de Padua Peixoto Filho, de 74, o direito de assumir a presidência em caso de impedimento de Marco Polo Del Nero, já que o estatuto estabelece que, nesse caso, quem assume é o vice mais velho.

Del Nero ainda definiu que Gustavo Dantas Feijó, vice que representa a região Nordeste, assumirá a presidência nas eventuais ausências do coronel. Marcus Vicente, que foi presidente interino por um mês, passou para o fim da fila.

Escolhido para ser o eventual substituto de Antônio Nunes, Gustavo Feijó chegou a defender a suspensão do pleito que elegeu o coronel como vice-presidente da CBF pela região Sudeste, no mês passado. O cartola defendia publicamente que a eleição desrespeitou diversos artigos do estatuto.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias