Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 15 de agosto de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/08/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Suzanense vai à Fifa reivindicar criação da ideia do chip na bola

Oscar de Oliveira diz que idealizou a tecnologia no final dos anos 1990

Por Daniel Marques - de Suzano17 JUL 2020 - 21h15
Oscar alega que é o idealizados do chip na bolaFoto: Arquivo/DS
O suzanense e criador do fute-tênis, Oscar de Oliveira, quer ser reconhecido como o idealizador do chip na bola, sistema usado atualmente para detectar se a bola entrou ou não no gol. Ele pretende ir à Federação Internacional do Futebol (Fifa) reivindicar a criação da tecnologia.
 
“Sou o idealizador da implantação do chip na bola. Nos anos 1999/2000, estive com a empresa alemã Siemens, em São Paulo, reunido com os diretores e engenheiros eletrônicos, sensores e comunicação. Passei todo o projeto de ideia, para acabar com o impedimento em 100%. Os engenheiros aprovaram a ideia e entenderam que o projeto explanado por mim, de fato, funcionava. Após a reunião, o diretor ficou satisfeito, me disse que faria um relatório sobre a reunião e que iria encaminhar para a sede da Siemens em Frankfurt, na Alemanha”, justificou o inventor do fute-tênis.
 
Ele diz ter documentos anteriores ao ano de 2005, sendo que o primeiro registro de uso de chip em bola ocorreu durante o Mundial de Clubes da Fifa, em 2012, vencido pelo Corinthians, sobre o Chelsea, da Inglaterra. Oscar garante que foi o primeiro a falar sobre o assunto.
 
"Era uma ideia muito futurista e as pessoas desacreditavam, achavam que era bobagem. Mas, em 2005, virou realidade. Em Suzano, muitas pessoas sabem deste feito - de eu ter sido o pai da ideia. Minha proposta é de ser o brasileiro reconhecido como idealizador, não um alemão", explicou Oscar.
 
Além de reivindicar a criação do chip na bola, Oscar também vai apresentar dois projetos para a Fifa: um “Conta Passos Laser Inteligente”, para medir a distância dos 9m15 da bola até a barreira em cobranças de falta; e um dispositivo a ser instalado nas chuteiras ou tornozelos dos atletas, para detectar impedimentos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias