Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 18 de janeiro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/01/2020
CENTRO MÉDICO
CENTERPLEX 16 A 22/01

Lance Livre 07-12-2019

Por Edgar Leite06 DEZ 2019 - 23h59
121 vítimas
Informações do site do Governo de São Paulo mostram que em 2019, o Estado registrou mais de 121 vítimas de feminicídio até o mês de setembro. Durante todo o ano de 2018, foram 136. 
 
Crime de  
feminicídio
O crime de feminicídio se refere ao assassinato de mulheres e meninas por questões de gênero, ou seja, a morte intencional de pessoas do sexo feminino.
 
Novas políticas
Com isso, novas políticas públicas e ações de segurança voltadas especialmente para elas têm surgido em São Paulo, como o aplicativo SOS Mulher, as Delegacias de Defesa da Mulher e o Programa Bem Me Quer, voltado para vítimas de estupro, segundo informações do governo estadual.
 
Delegada
Em entrevista a delegada Jamila Jorge Ferrari, coordenadora das Delegacias de Defesa da Mulher (DDMs), diz que “acredita que todas essas campanhas, tanto do Governo de São Paulo quanto das empresas e organizações, têm mostrado para as vítimas a necessidade de procurarem ajuda”.
 
SOS Mulher
Em março de 2019, o Governo de São Paulo lançou o aplicativo SOS Mulher, voltada para as cidadãs que obtiveram medidas protetivas expedidas pelo Tribunal de Justiça do Estado. Até o início de outubro, quase 15 mil usuárias realizaram o cadastro no sistema.
 
Dispositivo
O dispositivo permite que as vítimas de violência doméstica peçam ajuda apertando apenas um botão no celular. “Essa chamada vai diretamente à viatura mais próxima e à central 190. É uma evolução do nosso atendimento, o que considero muito positivo”, avalia a coronel da Polícia Militar Helena dos Santos Reis, diretora de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos, ao podcast do Governo do Estado de São Paulo.
 
DDMs
São Paulo conta atualmente com 133 DDMs, dez das quais ficam abertas 24 horas por dia. O número total corresponde a 29% de todas as delegacias especializadas existentes no Brasil. Lesão corporal, ameaças e descumprimento de medidas protetivas são os motivos da maioria dos atendimentos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias