Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 02 de dezembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 02/12/2020
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades 02 - Dezembro
Sec de Governo - Educação Kit de Atividades - Dezembro

Inquérito apura compra de caças, diz procurador

26 JAN 2016 - 07h00

O procurador da República Frederico Paiva, da força-tarefa responsável pela Operação Zelotes, disse ontem que documentos que tratam da possível atuação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na compra dos caças suecos Gripen, da Saab, pelo governo federal estão sendo analisados em uma investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. "Isso faz parte do novo inquérito, que está em curso", explicou.

Segundo Paiva, apesar de o fato estar sendo apurado, Lula não consta como investigado na Operação Zelotes. O procurador disse estranhar o fato de o ex-presidente ter sido intimado a depor pela PF no último dia 6 de janeiro. "Não entendi o motivo de o delegado ter ouvido Lula nesse caso", declarou, acrescentando que o policial deve ter suas razões. O petista falou na condição de "informante".

A Zelotes denunciou 16 pessoas, entre lobistas e empresários, por suposto envolvimento na "compra" de medidas provisórias editadas no governo federal e aprovadas mais tarde pelo Congresso. Investigações sobre outros fatos, contudo, continuam correndo. Em um inquérito que ainda tramita, a PF apura se houve algum ilícito em pagamentos de R$ 2,5 milhões feitos pelo lobista Mauro Marcondes Machado, um dos presos na Zelotes, à empresa de um dos filhos do ex-presidente, o empresário Luís Cláudio Lula da Silva. Marcondes representava montadoras e também o grupo que controla a Saab.

A PF suspeita de que os pagamentos a Luís Cláudio tenham relação não só com a edição de medidas provisórias, mas também com o negócio dos caças suecos, que começou no governo de Lula e foi concluído no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff (PT).

Um arquivo apreendido na empresa do lobista citava uma "solicitação da empresa sueca para que o ex-presidente levasse seu apoio à contratação da Saab para a presidente Dilma". No depoimento do dia 6, a PF perguntou a Lula se os pagamentos ao filho foram alguma "contraprestação" por serviços prestados pelo petista à Saab para que viesse a vencer a concorrência dos caças Lula negou veementemente e disse que a hipótese é um absurdo. No sábado, a revista "Veja" divulgou carta apreendida na Zelotes, na qual Mauro Marcondes pede uma reunião com Lula para tratar dos caças.

O procurador rebateu nesta segunda afirmação de testemunhas de defesa, ouvidas na Justiça federal, de que o processo de negociação das medidas provisórias envolveu apenas ações lícitas de lobby, e não corrupção.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias