Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 29 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/10/2020
PMMC MULTI 2020
Pms Coronavírus - Fase Verde
PMMC COVID VERDE
Pmmc Sarampo Outubro
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO

Levy vai continuar ajudando a equipe, diz Mercadante após reunião com Dilma

04 SET 2015 - 08h00

Ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante disse ontem que uma possível saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, do governo não foi tratada na reunião com a presidente Dilma Rousseff (PT) e que Levy "vai continuar ajudando" a equipe.

Mercadante ressaltou que a equipe trabalha em unidade e alinhada no esforço de promover corte de gastos e aumento de receitas para o País. "Levy está na equipe, ajuda muito e vai continuar ajudando", afirmou. "Num momento de instabilidade, tem aliança entre os mal informados e os mal intencionados", completou, indicando que muitas pessoas querem especular no atual momento. "Estamos juntos e quem apostar no contrário, vai perder".

De acordo com o ministro, a reunião com Dilma, Levy, e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, discutiu a importância de manter vetos presidenciais no Congresso. "Vamos procurar melhorar gestão, mas precisamos de decisões do Congresso".

Ao comentar possíveis medidas para aumentar as receitas, Mercadante não deu detalhes, mas ressaltou a importância de que as decisões tenham menos impacto na vida da população e da economia, ponderando que é preciso resolver a questão das contas públicas. Sobre o cenário econômico, o chefe da Casa Civil afirmou que a inflação está caindo. "Em agosto, teremos inflação próxima de 0,25%.

Levy deve participar da reunião do G-20 na Turquia hoje e amanhã.

EDINHO SILVA

O ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, disse que "erra feio" quem apostar no enfraquecimento do titular da Fazenda. "Levy fica porque nunca saiu. Sempre ficou", disse Silva.

A intenção da reunião foi a de afinar o discurso da equipe, após o titular da Fazenda expressar mal estar com sua "fritura" no próprio governo. As desavenças foram escancaradas com ênfase depois que o governo apresentou a proposta de Orçamento de 2016 com um rombo de R$ 30,5 bilhões. Levy defendia uma redução maior de gastos, da ordem de R$ 15 bilhões, para evitar a exposição do déficit.

Ontem, a presidente da Comissão Mista de Orçamento, senadora Rose de Freitas (PMDB), descartou devolver a proposta do Orçamento.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias