Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 25 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 25/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo
ÚNICCO POÁ
PMMC COVID SAÚDE

Líder do governo no Senado é preso por tentar atrapalhar Lava Jato

26 NOV 2015 - 07h00

 A PF prendeu ontem o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), em Brasília. O senador chegou por volta das 8h15 à sede da Superintendência da Polícia Federal em Brasília. A prisão do senador foi autorizada pelo ministro-relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki. De acordo com a Polícia Federal, o senador foi preso por tentar atrapalhar as investigações da Lava Jato.

Uma reunião com Delcídio foi captada com um iPhone e um gravador de voz. O registro da conversa, de 1h35, foi feito por Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró.

No encontro, estavam, além do senador e de Bernardo Cerveró, o advogado Edson Ribeiro, defensor de Cerveró, e Diogo Ferreira, chefe de gabinete de Delcídio. Edson Ribeiro, Diogo Ferreira e o banqueiro André Esteves, dono do BTG Pactual, também foram presos pela Polícia Federal nesta manhã.

Segundo o Ministério Público Federal, o líder do governo estava se esforçando para dissuadir Nestor Cerveró de firmar acordo de colaboração com a Procuradoria 'ou, quando menos, para evitar que ele o delatasse e a André Esteves, controlador do Banco BTG Pactual'. Por isso, Delcídio Amaral ofereceu a Bernardo Cerveró uma mesada de R$ 50 mil à família de Nestor Cerveró e prometeu intercessão política junto ao Poder Judiciário em favor da liberdade do pai.

Ontem à noite, por 59 votos a 13, o Senado decidiu que Delcídio permanece na prisão.

NOVO LíDER

A Secretaria de Comunicação da Presidência da República divulgou nota ontem informando que "em razão dos fatos" em relação ao líder do governo no Senado, Delcídio Amaral, "será escolhido novo líder na próxima semana, respondendo interinamente, nesta semana, os vice-líderes do governo naquela Casa".

Já pela manhã, poucas horas depois da prisão de Delcídio, o Palácio do Planalto e o PT já informavam terem começado a discutir um nome para substituí-lo na liderança. Atônitos com o que ocorreu, os senadores do PT se reuniram para avaliar a situação do correligionário. O senador José Pimentel (PT-CE), atual líder do governo no Congresso, deve acumular as duas funções temporariamente. Ele já teria sido chamado para conversar com a presidente Dilma Rousseff (PT) sobre o assunto.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias