Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 26 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/09/2020
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ

Por 38 a 27, comissão aprova parecer a favor do impeachment de Dilma

12 ABR 2016 - 08h00

a A Comissão Especial do Impeachment da Câmara dos Deputados aprovou há pouco o parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO) pela admissibilidade da abertura do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT). Foram 38 votos a favor e 27 contrários.

O parecer aprovado será encaminhado ao plenário da Câmara, onde será lido na sessão imediatamente após a votação. A leitura do relatório deve ocorrer hoje em sessão ordinária da Casa. Posteriormente, a peça será publicada no Diário Oficial da Câmara veiculado amanhã.

Após a publicação, 48 horas depois, o parecer entrará na pauta de votações da Câmara, como primeiro item a ser discutido e votado. A previsão, até o momento, é que a discussão seja iniciada na próxima sexta-feira. A votação em si deve ocorrer no próximo domingo.

Para ser aprovado, serão necessários os votos de dois terços dos deputados, ou seja, 342, dos 513 parlamentares. Se aprovado, o parecer será encaminhado ao Senado, que analisará a admissibilidade do processo em sessão plenária. Se o relatório não obtiver os 342 votos na Câmara, a denúncia será arquivada.

PLACAR DO IMPEACHMENT

O Placar do Impeachment do jornal O Estado de S. Paulo contabilizava, até as 19h30 de ontem, 298 votos a favor e 119 contra o afastamento da presidente Dilma. Dos 513 deputados federais, 54 continuavam indecisos e 42 não quiseram responder como vão votar no plenário da Câmara.

Da Comissão Especial do impeachment, anunciaram votos contrários ao impeachment os titulares Aliel Machado (Rede-PR) e Junior Marreca (PEN-MA) e os suplentes Elcione Barbalho (PMDB-PA) e Aluisio Mendes (PTN-MA). O integrantes titular do colegiado Maurício Quintella (PR-AL) declarou apoio à saída de Dilma.

Mendes justificou que, apesar da pressão familiar, não poderia ser favorável à saída da presidente. O representante da Rede, por outro lado, reiterou que a via defendida pela legenda é a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a realização de novas eleições.

O grupo de parlamentares a favor do impeachment aumentou com a chegada de dois deputados do PRB. Declararam voto ontem pelo impedimento Silas Câmara (AM) e Márcio Marinho (BA). Weliton Prado (PMB-MG) também manifestou apoio ao afastamento. Quintella, do PR, pró-impeachment, afirmou que deixará a liderança do partido na Câmara. Também se posicionaram favoráveis ao impedimento Expedito Netto (PSD-RO), Nilton Capixaba (PTB-RO) e Milton Monti (PR-SP).

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias