Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 29 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 29/09/2020
Pmmc Sarampo
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
SOUZA ARAUJO
PMMC COVID SAÚDE
ÚNICCO POÁ

PSD apoia impeachment com 30 votos; ministro do PP entrega o cargo

14 ABR 2016 - 08h00

O PSD anunciou ontem que apoiará o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na votação de domingo. Dos agora 38 deputados do partido, 30 são favoráveis ao impedimento da petista. Apesar da movimentação da bancada, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, ainda não informou se entregará o cargo.

O governo, que acredita ter 11 votos na bancada, ainda tenta segurar o partido. Mesmo após o anúncio do PSD, um dos negociadores do Planalto no Congresso informou que a oferta do Ministério do Turismo ainda está de pé.

O PSD já havia liberado seus deputados para votarem como quisessem. No entanto, a maioria da bancada cobrou uma posição definida da legenda. "Mudamos de liberado para favorável, mas respeitando a posição dos deputados divergentes", disse o líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF), que afirmou que os dissidentes não serão punidos.

Os parlamentares da legenda entenderam que era preciso que o partido tivesse posição clara, principalmente em função das eleições municipais que ocorrem em outubro.

Após participar de reunião com deputados do PSD, Kassab foi ao Palácio do Planalto comunicar à presidente Dilma sobre a decisão da maioria da bancada a favor do impeachment.

Kassab já havia informado há cerca de um mês aos integrantes da cúpula do governo que iria liberar a bancada dos deputados para votarem de acordo com "a consciência" de cada um no processo de afastamento da petista.

Após a decisão de desembarque do PP tomada na terça, o PSD era, até a noite de ontem, um dos principais focos de investimento do governo na tentativa de impedir que a oposição consiga os 342 votos necessários para levar o processo de impeachment ao Senado.

MINISTRO do pp RENUNCIA

O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, entregou ontem sua carta de renúncia a Dilma. Occhi deixa a pasta seguindo decisão de seu partido, o PP, que anunciou na terça desembarque da base aliada.

Segundo apurou o Broadcast Político, a tendência é que o secretário executivo do ministério, Carlos Vieira, assuma interinamente o comando da pasta. Vieira é funcionário de carreira da Caixa Econômica.

Na terça, o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), anunciou que havia orientado os indicados do partido a entregarem seus cargos no governo como "gesto de grandeza", após anúncio do desembarque da legenda. A expectativa é de que os diretores gerais do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs) e da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), ambos indicados pelo PP, entreguem seus cargos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias