Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 01 de outubro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 01/10/2020
SOUZA ARAUJO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
ÚNICCO POÁ

Senado decide sobre afastamento de Dilma

12 MAI 2016 - 08h00

 Com atraso de uma hora, a sessão que vai apreciar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), marcada para começar às 9 horas, foi aberta ontem pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). A votação, que durava mais de 11 horas até ontem à noite, deve ser realizada hoje.

Os senadores inscritos falam, por 15 minutos cada um, seguindo ordem de inscrição. A primeira que falou será a senadora Ana Amélia (PP-RS), seguida dos senadores José Medeiros (PSD-MT) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). "Deus Ajuda quem cedo madruga", disse Amélia ao chegar no plenário. Ao todo, está prevista a fala de 68 senadores, dos quais, até o fechamento desta edição, 24 haviam se pronunciado, sendo ao menos 18 a favor da admissibilidade.

PRONUNCIAMENTO

A presidente Dilma falará à imprensa hoje, às 10 horas, no salão leste do Planalto, informou hoje a assessoria da Presidência. A previsão é que também pela manhã ela seja notificada da decisão do Senado que deve culminar com o seu afastamento por até 180 dias.

O Planalto confirmou também que a presidente gravou um vídeo hoje para comentar a decisão. Ele será disponibilizado nas redes sociais após a fala de Dilma. A decisão de escolher as redes sociais e não convocar cadeia de rádio e TV repete uma estratégia já utilizada pela presidente. Segundo interlocutores, Dilma foi aconselhada pelo ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo, a não usar as rádios e televisões para evitar possíveis questionamentos jurídicos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias