Polícia

Autônomo morre após tentar esfaquear PM

16/10/2015 08:01


Um policial militar atirou e matou um homem, na noite de quarta-feira, na Rua Primeiro Sargento João Leite de Godói, no bairro Água Vermelha, em Poá. A versão da PM diz que o autônomo, de 69 anos, sob o efeito de bebidas alcoólicas, ameaçou matar alguns policiais que davam apoio a outra ocorrência e, inclusive, teria tentado golpear um policial utilizando um facão. A Polícia Civil apreendeu a faca do idoso e a arma do militar. O caso teve início quando a polícia foi chamada no local para atender uma briga entre um pedreiro, de 34 anos, e os familiares. Após resolverem o problema, os policiais foram embora, mas, novamente, retornaram porque o homem havia entrado na casa da família, mas acabou sendo imobilizado. A PM, então, pediu que ele saísse e aguardasse, pois iria informar que não era necessário apoio policial. Enquanto os policias repassavam a informação ao Centro de Operação da Polícia Militar (Copom), o pedreiro saiu e retornou à casa onde mora. O apoio policial chegou e foi atrás do homem, que reside em um terreno com demais casas geminadas. No local, a polícia ouviu um homem, possivelmente, alterado e, portanto, pediu que saísse. Entretanto, o morador teria gritado: “quando eu abrir a porta, vou cortar no facão o primeiro que estiver na minha frente”. Logo em seguida, o autônomo teria saído com um facão e caminhado em direção aos policiais, dizendo que iria matá-los. No momento que iria golpear um policial, Souza foi baleado duas vezes e ficou caído no chão. Por conta dos ferimentos, o homem morreu antes da chegada do atendimento médico. Algumas testemunhas disseram aos policiais que, provavelmente, o autônomo estava sob o efeito de bebidas alcoólicas, pois era alcoólatra. Após o fato, os peritos do Instituto de Criminalística (IC) de Mogi das Cruzes, investigadores do Setor de Homicídios e o delegado plantonista foram informados. Consta no registro do caso que a pistola do militar e a faca do autônomo foram apreendidas e serão encaminhadas para analise. Além disso, o caso segue sob investigação, pois foi registrado como homicídio simples por intervenção policial. Além disso, o policial que atirou no homem deverá ser investigado pela Corregedoria da corporação.