Esportes

Em Salvador, Brasil joga pressionado para vencer o Peru pelas Eliminatórias

17/11/2015 07:01


Não será possível fechar o ano na liderança das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, como Dunga desejava no melhor dos seus sonhos, mas uma vitória hoje, às 22 horas (de Brasília), diante do Peru, na Arena Fonte Nova, em Salvador, ajudará o treinador a ganhar fôlego no cargo pelo menos até março, quando a seleção voltará a se reunir para mais uma sequência de dois jogos pela competição. O Brasil é amplo favorito, mas Dunga não quer correr riscos. A vitória na Arena Fonte Nova é obrigação para aliviar a pressão que o treinador passou a sofrer desde o fracasso na última Copa América. "Temos de somar pontos o mais rápido possível", disse o treinador nesta segunda-feira. Dunga tenta demonstrar confiança à torcida e não vê motivos para se sentir ameaçado no cargo em caso de tropeço diante do Peru. O Brasil está na quarta colocação das Eliminatórias, com quatro pontos, e se não derrotar os peruanos pode virar o ano fora da zona de classificação para o Mundial. "Ameaçado? Não sei por quê É o futebol, é normal a cobrança que se tem em todas as profissões. É resultado. Acho ameaçado é uma palavra um pouco forte", disse. O treinador escondeu os treinos e a escalação, mas tudo indica que ele vai abandonar o esquema com um centroavante que utilizou nas partidas contra Venezuela e Argentina para que Neymar jogue mais solto. Com a provável saída de Ricardo Oliveira e o retorno de Douglas Costa ao time titular, o treinador optará por uma formação mais leve e rápida para desarticular a defesa adversária. "Temos de jogar com as características dos nossos jogadores e tentar surpreender o adversário", limitou-se a dizer Dunga quando questionado sobre o seu plano de jogo para superar o Peru. Ontem, quando os jornalistas tiveram acesso ao treino que a equipe realizou no estádio de Pituaçu, os atletas já disputavam um rachão em campo reduzido. Até o ex-jogador Careca, auxiliar pontual da seleção, participou da brincadeira.