Editorial

É hora de ‘balanço’

22/12/2015 07:00


O ano praticamente terminou e o momento é propício para fazer balanço de final de ano. Rever projetos, saber onde cada um errou ou acertou. Os projetos para 2016 começaram a ser delineados com objetivo de tentar aprimorá-los e garantir, assim, melhores condições para a população. Sem dúvida, o ano de 2015, que está se findando transcorreu com dificuldades. As crises política e financeira, em nível nacional, trouxe consequências diretas para quem administra os municípios: os prefeitos. Foram exatamente eles que mais reclamaram das condições financeiras para administrar as cidades. O ano de 2016 será atípico por conta das eleições municipais. Suzano, por exemplo, pode ter pela primeira vez na história a disputa do pleito em segundo turno por ter mais de 200 mil eleitores. Portanto, o ano que vem promete com a possibilidade de os eleitores irem às urnas duas vezes. Sempre quando dezembro chega, a correria se instala, o trânsito aumenta, a vontade de fazer compras cresce, o número de eventos corporativos se multiplica. Não há dúvida de que tirar algumas horas para uma retrospectiva pode ser positivo. Profissionalmente, esse balanço ajuda a perceber o fim de alguns ciclos - numa área, numa empresa, numa carreira. É como checar, na bagagem, o que vale a pena continuar carregando e o que deve ser deixado para trás. O fim do ano é o momento de compreender o que ele representou na vida. Portanto, faltando dez dias para encerrar o ano, é importante planejar para que 2016 seja melhor do que o ano que passou. Pelo menos é isso que a população de Suzano e das demais cidades da região esperam. Há expectativa pela melhora de mais empregos na indústria, no comércio e no setor de serviços. Apesar de os números não serem positivos, é possível ter uma visão otimista em relação ao futuro dos municípios, estados e País.