Região

Trecho Leste do Rodoanel registra um acidente a cada 32 horas

03/01/2016 07:00


O Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas (SP-21) registrou um acidente a cada 32 horas durante os primeiros meses de operação do anel viário. A informação foi divulgada pela concessionária responsável pela manutenção e operação do trecho, a SPMar, e é referente a 157 dias de operação (de 27 de junho a 31 de novembro de 2015). De acordo com a SPMar, "para uma rodovia como o Rodoanel é um índice relativamente baixo", informou em nota. Neste período, o índice da rodovia foi de um veículo acidentado a cada 14,4 mil que passaram pelo trecho. Dos acidentados, foram confirmados 12 vítimas leves que foram atendidas pela equipe médica das ambulâncias da SPMar. Desde o início do funcionamento, não foi registrado nenhuma vítima fatal. Atualmente o Rodoanel recebe mais de 26,2 mil veículos por dia. A previsão inicial, divulgada pela SPMar, seria que uma média de 45 mil veículos passassem por dia pelo Trecho Leste. De acordo com a concessionária, o número inferior é devido ao período de amadurecimento da via, ou seja, é esperado um período de adaptação dos motoristas até que os condutores se familiarizem com o novo acesso à São Paulo, e comece a utilizá-la com frequência como percurso. A SPMar informou em nota que o Trecho Sul do anel viário levou 20 meses para alcançar o volume de veículos previsto para a pista. A SPMar lembrou ainda, que, diferente das vias municipais, o Rodoanel foi construído com asfalto apropriado para receber veículos pesados. O Trecho Leste do Rodoanel teve a primeira parte inaugurada em 4 de julho de 2014, com 38 quilômetros de extensão, ligando ao Trecho Sul e a Avenida Papa João XXIII em Mauá, já a segunda parte, inaugurada um ano depois, representou um acréscimo de 13% na extensão da via, totalizando 43,5 quilômetros. Localizado entre as rodovias Ayrton Senna (SP-70) e Presidente Dutra (SP-60), em Arujá, o novo trecho tem grande importância logística , principalmente, por ser a principal via de ligação entre São Paulo, o Vale do Paraíba e o Rio de Janeiro