Mogi das Cruzes

Avião que caiu em mata no RJ pertence a empresa de Mogi

04/01/2016 19:31


Um avião bimotor de pequeno porte, que voava de São Paulo a Paraty, no litoral sul do Rio, e desapareceu na tarde de domingo, pertence ao Grupo Shibata, de Mogi das Cruzes. O grupo nasceu como um mercadinho na cidade mogiana, em 1976, e atualmente, a rede de supermercados tem mais unidades no Alto Tietê, sendo em: Ferraz de Vasconcelos, Biritiba Mirim e Itaquaquecetuba. As cidades de Aparecida, São Sebastião, Taubaté, Jacareí, Caraguatatuba e Caçapava também têm filiais.

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro localizou, na manhã de hoje, o avião bimotor. De acordo com a corporação, havia dois corpos dentro da aeronave, que foi encontrada em uma área de mata fechada, de difícil acesso, no bairro Corumbê. A identidade das vítimas não foi divulgada.

O avião seguia de São Paulo para Paraty, no litoral sul do Rio. Apenas piloto e copiloto estariam a bordo no momento da decolagem, no Aeroporto Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, de acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) informou que a aeronave do modelo King Air, prefixo PPLMM, decolou às 13h34 de São Paulo. A previsão de pouso em Paraty era para as 14h15, mas não houve confirmação de aterrissagem, contato com a torre nem informação de mudança de rota. 

Registro

Segundo Registro Aeronáutico Brasileiro, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) do equipamento tem validade até dezembro de 2017. O avião tem capacidade para sete passageiros. O modelo tem dois motores e pesa 4,5 toneladas.

A empresa Supermercado Shibata Ltda consta de documentos da Anac como a operadora da aeronave. A Infraero informou que a empresa de táxi aéreo Aristek, que funciona no Campo de Marte, é quem opera o avião. A reportagem não conseguiu contato com as empresas.

O Corpo de Bombeiros de Paraty recebeu duas ligações telefônicas, por volta das 16 horas, de moradores relatando que viram um avião sobrevoando a região de mata fechada entre os bairros de Corumbê e Graúna, ouviram um estrondo e, em seguida, pararam de ouvir o barulho do motor da aeronave. Uma chuva intensa atingiu a região durante todo o dia.

Vestígios de uma fumaça no ar vinda da mata foram fotografados por moradores da região instantes após o estrondo relatado aos bombeiros.

Foto:  Paulo Pinto/Fotos Publicas