Lance Livre

Lance Livre - 29/03/2015

29/03/2015 08:00


Bacci deixa a Band O apresentador mogiano Luiz Bacci teve seu contrato rescindido com a Rede Bandeirantes, segundo informação do Portal Comunique-se. A situação econômica do grupo não está boa. Em processo de corte de gastos, mais de 50 funcionários foram demitidos ao decorrer das duas últimas semanas. Menino de Ouro Luiz Bacci levou ao ar na sexta-feira a última edição de seu programa na Band, a versão nacional do 'Café com Jornal'. Ex-Record, o "Menino de Ouro" chegou a comandar o 'Tá na Tela', que deixou o ar com menos de cinco meses de produção. Cobranças de agilidade Na semana passada, em reunião realizada pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), os prefeitos de Suzano, Paulo Tokuzumi (PSDB), e de Ferraz, Acir Filló (PSDB), fizeram cobranças de agilidade em obras ao secretário de Estado de Logística e Transportes, Duarte Nogueira. Acesso e Marginal do Una Tokuzumi, por exemplo, cobrou o início das obras da Marginal do Una e alça de acesso ao Rodoanel Mário Covas. Alças em Ferraz Filló cobrou mais agilidade por parte da secretaria com relação ao projeto de construção de duas alças de acesso ao Rodoanel no limite de Ferraz com Suzano, na região do Cambiri. Crimes contra policiais A Câmara dos Deputados, em Brasília, aprovou, na semana passada, projeto que torna homicídio qualificado e crime hediondo assassinar policial, bombeiro, integrante das Forças Armadas, do sistema prisional e da Força de Segurança Nacional, quando esses profissionais estiverem em serviço. Agravamento do crime O agravamento do crime também se estende ao cônjuge, companheiro ou parente até 3º grau do agente público de segurança, quando o delito for motivado pela ligação familiar. Em todos esses casos, a pena será de reclusão, de 12 a 30 anos. O homicídio simples prevê pena menor (reclusão de seis a 20 anos). Líder do governo O governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem a maioria na Assembleia Legislativa, escolheu o deputado Cauê Macris (PSDB) para ser o novo líder do Governo. Atualmente, além do próprio PSDB, outros 14 partidos integram a base do governo: DEM, PV, PSB, PMDB, PRB, PSD, PR, PPS, PSC, PTB, PP, Solidariedade, PEN e PDT - o que representa 73 das 94 cadeiras em Plenário.