Cidades

GCM e polícias discutem ações de segurança na UBS Eduardo Nakamura

30/01/2016 07:00


A Secretaria de Defesa Civil e Social se reuniu ontem com representantes das policias Civil e Militar para em conjunto discutirem soluções sobre a recente onda de vandalismo que têm acontecido na Unidade Básica de Saúde (UBS) Eduardo Nakamura, no Miguel Badra. Somente neste mês foram registradas seis invasões com pequenos furtos e a prática de vandalismo na unidade em horários fora do expediente, sendo a mais recente na madrugada de quinta para sexta-feira. Participaram da reunião o secretário de Defesa Civil e Social, Clovis Paoletti; o secretário-adjunto de Saúde, Romero Lima; o capitão da Polícia Militar, Hiram Gouveia; o chefe dos investigadores do 2º Distrito Policial de Suzano, Alexandre Odashima; a gerente da unidade, enfermeira Maria Lucia de Souza; e representantes da INTS, Rafael Nunes Rocha, coordenador da empresa; e Talita Aparecida de Pinho Tanaka, coordenadora do Programa Saúde da Família, além do vereador Marcos Antonio dos Santos, o Maizena. No encontro, ações conjuntas ficaram definidas para que os autores dessas invasões sejam identificados, e para que novas ocorrências sejam evitadas, como rondas ostensivas da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Policia Militar (PM), que junto a Polícia Civil, se colocou à disposição da população, dos funcionários da unidade e da administração municipal para ajudar a solucionar o caso. "A Prefeitura de Suzano está em alerta e tomará as providências necessárias e possíveis para acabar com essas ocorrências, mas é importante também pedir a colaboração da população para que avise as autoridades se perceberem qualquer movimentação anormal nas madrugadas, o que ajudaria muito na identificação e prisão destes vândalos", afirmou o secretário Clovis Paoletti. Já o secretário-adjunto de Saúde ressaltou que os profissionais de saúde e a comunidade do Miguel Badra podem ter certeza da preocupação da Prefeitura e das autoridades. "Nós buscamos uma solução conjunta para que a unidade de saúde não sofra prejuízos no serviço. Estamos nos articulando para coibir as invasões, mas a comunidade tem um papel fundamental nos auxiliando a identificar os invasores, já que o principal prejudicado é o cidadão, que corre o risco de ficar sem o atendimento de saúde por conta de um ato de vandalismo, como já ocorreu no Pronto Atendimento em Palmeiras", declarou. A UBS Eduardo Nakamura é uma das maiores do município, com cerca de 20 mil pacientes registrados. Ela é referência para cinco equipes do Programa Saúde da Família e está com o quadro completo de médicos, com cinco profissionais. Uma nova reunião entre membros da PM, da GCM, funcionários da unidade e representantes da comunidade foi marcada para a próxima terça-feira.