Região

Programa social vai atender 1.302 famílias de Poá em pobreza extrema

13/02/2016 07:01


 O Programa Família Paulista, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, irá combater a pobreza extrema de 1.302 famílias em Poá. O projeto foi lançado ontem, no Centro de Referencia de Assistência Social (Cras), situado no Centro do município. A cerimônia e primeira reunião técnica para desenvolver o plano de ação do programa contou com a presença da coordenadora estadual do Família Paulista e diretora da Coordenadoria de Desenvolvimento Social (CDS), Lígia Pimenta. A definição das pessoas que serão atendidas leva em conta às famílias que possuem renda per capita, ou seja, por pessoa, menor ou igual a R$ 77 mensais. Ao todo, o município possui 5.205 famílias nessa condição que se caracteriza como pobreza extrema, cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), mas dentro do coeficiente computado a partir do porte do município, apenas 25% destas famílias serão atendidas. O foco no programa social é combater a extrema pobreza com medidas estratégicas de melhorias na habitação das famílias, da infraestrutura dos territórios, qualificação profissional entre várias outras. De acordo com a coordenadora Lígia Pimenta, o trabalho identificará as demandas das famílias a serem atendidas, como necessidades de saúde, educação, saneamento básicas e habitação. O programa não trabalha com transferência direta de verba, como o Bolsa Família. "Faz parte da proposta de enfrentamento da pobreza em conjunto com vários setores diferentes, integrados, para o fortalecimento do programa", explicou Lígia. Secretarias Municipais como de Assistência e Desenvolvimento Social, Saúde, Educação e outras. O projeto recebeu o fundo de R$ 1,9 milhão. De acordo com Átila Augusto de Lima, coordenador do programa Família Paulista no município e técnico da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, o projeto irá beneficiar a população pobre da cidade. "Esse projeto tem uma metodologia diferente, visando o trabalho em conjunto de várias secretarias para atender essas famílias. O objetivo não é só retirar essas famílias da situação de pobreza extrema, mas também de aproximar os serviços públicos básicos de qualidade a esses moradores, como habitação, saúde e educação", explicou.