Editorial

Chuva reprova região

17/02/2016 07:00


Os estragos causados nas cidades da região por causa das chuvas que caíram nesta semana mostraram que as cidades da região ainda não estão preparadas para enfrentar o problema. Apesar de todas as obras realizadas, como a limpeza de córregos e até a construção de piscinões, a situação crítica de alagamentos em bairros persiste. O privilégio de todo esse problema não é apenas as cidades do Alto Tietê. Em São Paulo, a situação é de calamidade, com inúmeros bairros embaixo d’água, ruas, avenidas e linhas de trem inundadas pela força do temporal. Só para se ter uma ideia, a chuva de segunda-feira foi a maior na Capital paulista desde 8 de setembro do ano passado, com volume de água acumulado em 48,6 milímetros (mm). A tempestade, a mais volumosa deste verão, registrou 22,5% do volume esperado para todo o mês, de acordo com a média histórica do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Meteorologistas do CGE explicam que um sistema frontal do oceano contribuiu para as áreas de instabilidade que, unidas ao calor e à disponibilidade de umidade na atmosfera, causaram rajadas de vento e descargas elétricas. As fortes chuvas têm sido um grande problema em vários municípios brasileiros, incluindo as cidades da região. Mas existem algumas explicações. O processo de urbanização desordenado ao longo dos anos agravou a duração, a intensidade e a frequência de desastres naturais causados pelas chuvas como deslizamentos e alagamentos. Com a retirada da cobertura vegetal e a pavimentação de ruas e construção de edifícios, os solos estão cada vez mais impermeáveis, assim como os sistemas de drenagem tornaram-se ineficientes ou até mesmo inexistentes. Além disso, a população lança indevidamente lixo nas encostas e rios, atrapalhando o fluxo da água e permitindo, assim, que ela se acumule mais rapidamente nos pontos mais baixos das cidades. O problema existe. Causa grande transtorno à população e, por isso, é preciso pensar em uma saída para evitar os estragos causados por conta das chuvas.