Cidades

A cada 42 horas, uma pessoa morre em acidente de trânsito na região

24/02/2016 08:00


Uma pessoa morre em acidente de trânsito nas rodovias e ruas da região a cada 42 horas. O dado foi divulgado ontem durante o lançamento do relatório Infosiga SP - Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo. O sistema vai divulgar mensalmente dados de óbitos computados no trânsito, com o objetivo de permitir a criação de ações de segurança para impedir novas ocorrências. A medida foi tomada porque a quantidade de mortes computadas neste tipo de ocorrência têm aumentado consideravelmente. O levantamento divulgou dados de 2015 e janeiro de 2016. Neste período, as dez cidades do Alto Tietê computaram 223 mortes no trânsito, sendo 207, no ano passado e 16 no primeiro mês de 2015. O município com maior número de casos é Mogi das Cruzes, com 71 óbitos contabilizados, seguido de Itaquaquecetuba, com 50. Suzano está em terceiro lugar, com 25 mortes no trânsito (veja quadro completo ao lado). Apesar de Mogi ter o maior número de óbitos, a cidade com maior índice (considerando número de ocorrências para cada 100 mil habitantes) é Guararema, com 57,9. Em segundo lugar está Biritiba com índice de 19,7 e em terceiro, Salesópolis, com 18,5. Suzano tem um dos menores índices da região, com 9,4 mortes para cada 100 mil habitantes. Já com relação aos registros de janeiro deste ano, quatro cidades não computaram mortes. Mogi continua liderando as ocorrências, com oito óbitos computados, seguido de Itaquá, com três. A cidade suzanense computou dois casos. Além disso, Arujá, Poá e Salesópolis computaram uma morte cada. INFOSIGA SP O Infosiga SP tem como objetivo mapear os acidentes e óbitos no trânsito no Estado de São Paulo e fornecer subsídios para que o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito possa elaborar e desenvolver políticas públicas e ações para alcançar a meta de reduzir pela metade as vítimas fatais nos acidentes de trânsito no Estado até 2020. "Estamos dando um passo muito importante para a redução de uma das principais causas de mortalidade - as chamadas causas externas", afirmou o governador Geraldo Alckmin (PSDB), durante cerimônia de lançamento. "Antes, a maior causa externa era homicídio. Hoje, é acidente rodoviário, chegando a quase o dobro o número de perda de vidas".