Cidades

Movimento nos comércios próximos à estação provisória tem queda de 50%

28/02/2016 08:00


Com o fechamento da estação provisória de Suzano, as vendas nos estabelecimentos no entorno do equipamento tiveram queda de 50%. Segundo os lojistas, a situação está difícil e tende a piorar. Ao todo, duas ruas foram afetadas. Entre elas estão a Benjamin Constant e a Marechal Deodoro. Os comerciantes afirmam que os prejuízos são grandes. A Rua Marechal Deodoro era conhecida como um dos principais pontos de transporte coletivo. Anteriormente, o movimento era grande porque a população desembarcava na estação e embarcava nas vans nesta via. Assim, muitos consumidores paravam para comprar lanches, biscoitos, etc. Com a operação da nova estação, que começou a funcionar no último dia 12, os passageiros passaram a embarcar na baia inaugurada em frente ao equipamento. Os comerciantes locais fizeram um abaixo-assinado com mais de 500 assinaturas para solicitar ajuda na implantação de novas ações para que o movimento volte a aumentar. A comerciante Celina Yamamoto disse que a queda nas vendas foi muito forte. "Com certeza, 50% das vendas caíram. Muitos clientes fiéis que passavam por aqui, não compram mais. A situação está terrível e não pode piorar mais. Agora temos que tentar fazer de tudo para que os prejuízos não aumentem". Já o vendedor Ricardo Nunes falou que se continuar caindo o movimento, a loja terá que fechar. "Depois que fechou a estação provisória, acabou todo o movimento. Estamos tendo muito prejuízo e se continuar assim, vamos ter que fechar o estabelecimento. É muito triste ver isso acontecer". O prático de farmácia Elias Vitorino comentou que os próprios consumidores disseram que estão tristes por estarem longe do comércio. "Muitas pessoas passaram a reclamar que não conseguem passar mais aqui frequentemente. O pior de tudo é que só caem as vendas e não temos solução para nada disso".