Polícia

Ossada é deixada para funcionária de Defensoria

02/03/2016 08:00


Uma sacola com ossos humanos foi deixada no prédio da Defensoria Pública de Itaquaquecetuba. Foi a segunda vez que um fato como esse acontece na cidade em menos de um mês. A sacola foi deixada por um homem com problemas mentais que alegou ser um presente para uma psicóloga da repartição. Com medo, a profissional acionou a Guarda Civil Metropolitana (GCM) para averiguar o que realmente continha. Este é o segundo caso parecido na região dentro de um período de um mês. A perícia foi chamada e confirmou ser uma ossada humana. Um inquérito será aberto para identificar de quem são os ossos. Há indícios de que o abandono tenha sido feito pelo mesmo homem que invadiu a recepção do Hospital Santa Marcelina de Itaquá, no mês passado. A semelhança entre os dois casos é o fator principal para a investigação. Na época, os seguranças fizeram a contenção do homem e o encaminharam para a unidade de psiquiatria do Hospital. O caso gerou preocupação dos pacientes que presenciaram a cena com espanto. Além dos ossos que foram deixados na recepção da unidade, foram encontrados 500 preservativos usados e embalagens abertas. Tudo foi despejado na recepção.