Cidades

DEM não descarta pré-candidatura de Viviane Galvão para Prefeitura

01/04/2016 08:01


O Democratas (DEM) não descartou ontem lançar a vice-prefeita Viviane Galvão como pré-candidata à Prefeitura nas eleições deste ano. A decisão deve sair em 15 dias. Há também a possibilidade de uma outra candidatura própria. Uma coisa é certa: o DEM não vai apoiar o candidato do prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB). A informação, sobre Viviane, foi confirmada pelo deputado estadual Estevam Galvão (DEM) e pela presidente do partido Valéria Genovezzi. De acordo com ela, o posicionamento do Democratas deve ser decido nos próximos dias. "Ainda não temos um posicionamento. Vou me reunir com o grupo nos próximos 15 dias, aí devemos descobrir como vamos dar a apoio nas eleições da Prefeitura de Suzano de 2016", explicou. Questionada sobre a possível pré-candidatura de Viviane, a presidente se manifestou. "Não está descartado a pré-candidatura da dona Viviane. Mas não posso dizer o que vai ser, porque nos não direcionamos nosso apoio, quem vai decidir é o pessoal do Democratas, durante a reunião, em uma atitude democrática", pontuou. A assessoria da Viviane Galvão informou, por telefone, que ela está esperando a decisão do líder do partido, para definir seu futuro político. Quando for definido, Viviane deve reunir a imprensa para divulgar a decisão. O deputado também se posicionou sobre o assunto. "Estamos avaliando e conversando. O partido está se reunindo para então tomar uma decisão. Estamos em conversa com o Said (Raful), não descartamos vir com a Viviane (Galvão), ou então lançar um candidato a vice-prefeito. O que sabemos é que o Democratas terá sim uma representatividade nestas eleições", manifestou-se Estevam Galvão por meio de sua assessoria de imprensa. Em relação a declaração da vice-prefeita sobre a legenda partidária não apoiar o candidato que será apoiado pelo atual prefeito de Suzano, Paulo Tokuzumi (PSDB), o deputado ressaltou que o compromisso do partido era com o prefeito e no momento que este anunciou que não tentaria a reeleição, o partido também estaria livre para tomar outras decisões. "Hoje não está em questão o apoio a um candidato do Tokuzumi. Nosso compromisso era com a candidatura dele. Se ele (Tokuzumi) saísse candidato, o DEM manteria o compromisso de apoiá-lo, mas no momento em que ele anuncia que não irá se reeleger, o partido decide ser reunir para ver qual ação irá tomar".