Região

Funcionários do Hospital Municipal de Poá devem iniciar paralisação amanhã

03/05/2016 08:00


Os funcionários do Hospital Municipal Guido Guida, em Poá, devem iniciar greve amanhã. O Sindicato dos Trabalhadores Públicos na Saúde (SindSaúde) informou que a categoria aguarda um posicionamento sobre as negociações referentes às reivindicações relacionadas a melhores condições de trabalho e reajuste salarial. "Esperamos um chamamento para uma possível negociação", ressaltou a diretora regional do Sindsaúde, Kátia Aparecida dos Santos. Um dos pontos defendidos pela categoria é a redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais. Kátia Aparecida explicou ainda que, há cerca de dois anos, ocorreram mudanças no Regime Jurídico Único (RJU) - regime que define os direitos e deveres do servidor público -, e que não agradaram a categoria. "Encontramos algumas falhas em certas cláusulas que compõem o estatuto e estamos negociando as mudanças há um tempo. Prometeram alterar em janeiro, porém até agora nada ocorreu", disse. A paralisação deve ter início no começo do dia, a partir das 6 horas. Segundo dados da última assembleia realizada pela categoria, a paralisação apresenta, a princípio, uma adesão de quase 90% dos profissionais (entre auxiliares, enfermeiros, técnicos e setor administrativo). O número exato só poderá ser estimado após início das paralisações. O tempo da greve também não foi estimado. "O que desejamos é realizar uma negociação. Caso as conversas não avancem, damos início à greve por tempo indeterminado". Durante a suspensão nos atendimentos, somente os casos de urgência e emergência serão feitos na unidade por 30% do quadro de servidores e por esquema de revezamento. Além da redução da jornada, a categoria pede ainda a contratação de mais funcionários e o reajuste salarial de 20%, estipulado pelo RJU. "O hospital atualmente está sobrecarregado, atendendo pessoas de outras cidades e não somente os moradores de Poá e são poucos funcionários para atender. Para aliviar a situação seria preciso, pelo menos, a contratação de mais 100 funcionários", ressaltou Kátia. Segundo o SindSaúde, atualmente a unidade deve contar com um total de 400 funcionários, somando todas as áreas. Informou ainda que o hospital tem realizado, aproximadamente, mil atendimentos diários.