Esportes

Pato quer ficar na Inglaterra e Corinthians admite prejuízo

17/05/2016 08:00


O Corinthians fará de tudo para que Alexandre Pato continue na Inglaterra até o fim de seu contrato com o clube, em dezembro, mesmo que não receba nada por isso. A diretoria entende que dificilmente conseguirá vender o jogador depois da passagem apagada pelo Chelsea. A ideia que é o atacante seja novamente emprestado. O contrato de empréstimo com o Chelsea termina dia de 30 de junho. Com o fim do Campeonato Inglês, Pato foi liberado. Gilmar Veloz, empresário do atleta, vai tentar um acordo para que o jogador continue no time de Londres ou deve procurar outra equipe da Premier League. O desejo de Pato é permanecer na Inglaterra. Quando Pato retornou ao Corinthians em janeiro, o clube paulista conseguiu emprestá-lo ao Chelsea por seis meses. A estratégia era que o atacante se valorizasse e pudesse ser vendido para o próprio time inglês. Não deu certo. O jogador demorou mais de dois meses para estrear, pouco entrou em campo e marcou apenas um gol. Neste período, o Chelsea arcou com os salários do jogador (R$ 800 mil por mês). Por causa do alto salário, o Corinthians aceita um novo empréstimo de Pato, mesmo que de graça, dando como certo o prejuízo milionário na contratação do atleta, em 2013, por R$ 40 milhões. A contratação foi fechada na administração do presidente Mário Gobbi, logo após a conquista do Mundial de Clubes, em 2012. GOLEIRO É OPERADO - O terceiro goleiro do Corinthians, Matheus Vidotto, passou por uma cirurgia nas costas após se lesionar durante o aquecimento para o jogo contra o Grêmio, no domingo, na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro. Ele tem previsão de alta nesta terça-feira, mas não há estimativa exata para seu retorno aos treinos. O jogador de 23 anos teve a oportunidade de ficar no banco de reservas porque o titular, Cássio, foi liberado para viajar ao Rio Grande do Sul acompanhar o enterro da avó. Durante o trabalho pré-jogo, Matheus Vidotto sentiu muitas dores e logo foi transferido para o ambulatório do estádio. "Ele sentiu uma dor muito forte na coluna. Aí fui chamado, atendi e trouxemos aqui para análise. Nós suspeitamos de uma hérnia lombar e ele foi encaminhado para o hospital para fazer exames. A ressonância e a tomografia confirmaram a hérnia extrusa", disse o médico Joaquim Grava. A comissão técnica teve de telefonar para o quarto goleiro, Caíque França, vir às pressas para ficar como reserva de Walter, pois Vidotto seria o substituto imediato em caso de o titular na partida se machucasse ou foi expulso de campo. Caíque só chegou ao estádio depois do início do jogo.