Destaque

Cejusc de Poá é inaugurado e vai dinamizar causas mais simples

31/05/2016 08:01


 Poá inaugurou ontem o Centro Judiciário de Solução de Conflitos em Segunda Instância e Cidadania (Cejusc). Visando à redução do número de processos por causas simples - direito civil, familiar e até mesmo execução fiscal, o órgão permitirá que o poaense possa resolver as pendências pré-processuais sem envolver a Justiça. Segundo o juiz coordenador do Cejusc, Eduardo Messias Altermani, os atendimentos se iniciam a partir de hoje e serão realizados das 8 às 17 horas, dentro do Núcleo de Atendimento à População (NAP), na região central do município. Altermani contou que não há estimativas de quantas pessoas serão atendidas, mas que a demanda deve se basear em questões de família. Ele também destacou que os atendimentos estão relacionados a outras áreas judiciais, que podem ser conciliadas por meio do órgão. "Uma das principais, que acreditamos, será sobre divórcios e relativas à guarda de crianças e alimentos", acrescentou. Dentre os benefícios relatados pela implantação do Cejusc, o juiz coordenador ressaltou que os serviços são gratuitos e permitem que conciliações sejam feitas de forma rápida e eficaz. E, inclusive, os trabalhos reduzem drasticamente o número de novos processos, que delongariam além do esperado. "As pessoas devem procurar primeiro o Cejusc e, depois, o Judiciário. Isto porque poderão resolver tudo, com rapidez, eficiência e de forma informal", enfatizou. Representando o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), o desembargador José Helton Nogueira Diefenthäler Júnior frisou a importância da criação do Cejusc de Poá. Ele enfatizou ainda que o órgão tende a reduzir direta ou indiretamente, os casos de crimes hediondos do município. "Há uma repercussão positiva, quando o quesito é a criação de um núcleo deste porte", disse. Júnior ainda abordou questões nacionais, uma vez que avalia que o brasileiro procura o judiciário para resolver problemas que poderiam ser resolvidos de outra forma. "O Brasil tem visto apenas o Judiciário. Infelizmente, fica sobrecarregado. Atualmente existem 23 milhões de processos em andamento no Estado", contou. Também estiveram presentes no evento, os secretários Odair Sanna (Assuntos Jurídicos); Angelo Biancolin (Indústria e Comércio); Cristina Andere Espinhel (Assistência e Desenvolvimento Social); e Carlos Setsuo (Segurança Urbana). PRESIDENTE do tj-sp Apesar da divulgação que o presidente do TJ-SP estaria na solenidade, o desembargador Paulo Dimas de Bellis não foi ao evento. O motivo não foi divulgado.