Editorial

Número de eleitores

23/06/2016 08:00


O DS publicou na edição de ontem, mais uma “rodada” com o novo número de eleitores em Suzano. O que já estava confirmado se manteve. A cidade terá possibilidade de segundo turno, caso o primeiro colocado nas urnas não ultrapasse 50% + 1 dos votos. Pelo critério da maioria absoluta, para ser eleito, não basta ao candidato simplesmente obter mais votos do que seus concorrentes. Ele precisa ir além, devendo obter mais da metade dos votos válidos (excluídos os votos em branco e os votos nulos) para ser eleito, em primeiro ou em segundo turno. Por esse sistema, uma vez obtida maioria absoluta dos votos válidos já em primeiro turno, o candidato é considerado eleito desde logo, não se realizando segundo turno. Não tendo sido atingida a votação suficiente por nenhum dos candidatos, haverá a necessidade de segundo turno, oportunidade na qual concorrerão apenas os dois candidatos mais votados no primeiro turno da eleição, considerando-se eleito aquele que conseguir a maioria dos votos válidos em segundo escrutínio. A Constituição de 1988 prevê ainda uma regra para os casos de morte, desistência ou impedimento legal de candidato antes de realizado o segundo turno. Nesses casos, é convocado, entre os remanescentes, aquele de maior votação no primeiro turno, garantindo, assim, que o critério da maioria absoluta seja sempre observado para aqueles cargos em relação aos quais foi adotado o sistema eleitoral majoritário de dois turnos. Observando-se esses parâmetros, é fácil saber quando é o caso de segundo turno. Basta o eleitor atentar para o cargo em disputa e para o desempenho obtido pelos candidatos nas urnas, valendo lembrar que tais informações são disponibilizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet por ocasião das eleições. Na reportagem que o DS divulgou ontem, só para se ter uma ideia, até maio, a cidade registrava 211.690 eleitores. A resolução do TSE indica que as pessoas interessadas em votar no pleito municipal deste ano deveriam regularizar o título eleitoral até 4 de maio. A responsabilidade deste ano será grande. O eleitor vai ter de escolher, dentre todos os candidatos, aquele que considere ser o melhor, com propostas convincentes e práticas para melhorar a vida da população.