Caderno D

Em 'Cúmplices de um Resgate', ator Duda Nagle fala do romântico Otávio

30/06/2016 08:00


O desejo de Otávio (Duda Nagle) é formar uma família com Rebeca (Juliana Baroni) em “Cúmplices de um Resgate”. Para isso, o empresário teve de mostrar que deixou o lado mulherengo no passado e dar diversas provas de amor à mocinha durante a trama das 20h30, exibida pelo SBT. Apesar de já ter conquistado a amada, ele ainda tem que lidar com a vilã Regina (Maria Pinna), que não desiste de derrotá-lo. Por ter uma postura sempre correta, Duda acredita que o personagem é um mocinho clássico e ajudará na resolução do mistério das gêmeas. “Criar um homem íntegro é mais difícil do que compor um indivíduo cheio de vícios. Eu tento sempre me aprofundar nas emoções do personagem, buscar sinceridade, pois é algo difícil de alcançar. Ainda mais esse personagem que passa por uma transformação durante a trama. Afinal, o Otávio era um mulherengo”, avalia o ator. “Cúmplices de um Resgate” é um remake de um folhetim mexicano que já foi exibido no Brasil duas vezes - em 2002 e 2006. Por conter muitos elementos lúdicos, a releitura da trama e seus conflitos continuam atraindo, principalmente, o público infantil e adolescente. No entanto, Duda conta que a novela é para todos, sem restrições. "Outro dia eu estava voltando de viagem e uma família inteira veio falar comigo. Cada pessoa comentou sobre um determinado núcleo da novela. Por também ter animais que falam e a música, é uma trama que não choca ninguém. A novela está na medida certa", acredita ele. Apesar de “Cúmplices de um Resgate” estar se aproximando do fim, não há uma data fechada para a conclusão da história de amor entre Otávio e Rebeca nem o desfecho sobre o roubo de uma das gêmeas. "Não se sabe quando a novela vai acabar. Acredito que, pelo menos, até setembro eu ainda esteja gravando. A novela já ultrapassou os 200 capítulos e, com certeza, eu nunca gravei tanto na minha vida", diverte-se. Mudança de ares Para interpretar o romântico Otávio, Duda teve de se mudar para São Paulo. Acostumado a morar no Rio de Janeiro, o ator estranhou no início, mas se surpreendeu positivamente com o passar do tempo. Inclusive, ele diz que não veria problema em morar na capital paulista, mas que tudo depende do lugar em que for trabalhar depois do fim da novela. "São Paulo é uma cidade que te ajuda a manter o foco, principalmente para o trabalho. Ninguém está aqui sem um objetivo. Não é como no Rio, pois muitas pessoas estão lá sem uma razão aparente. Acho que as duas cidades são complementares. Tirando o fato de que não tem praia, pois eu sinto falta de dar um mergulho, é um ótimo lugar", afirma. Pela primeira vez na carreira, Duda está protagonizando uma novela. Apesar de experiências em outros folhetins, como “Caminho das Índias” e “Salve Jorge”, ambas na Globo, em que seus personagens tiveram algum destaque, fazer o papel central é para o ator apenas subir mais um degrau em sua profissão. "No início da carreira, eu era muito ansioso, mas agora as coisas estão mais tranquilas. Nessa profissão a mudança é constante, porém, mesmo assim, nunca pensei em trocar de ofício. A cada projeto, mergulho de cabeça. Não fico fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo", pondera.