Editorial

Ampliação de água

02/09/2016 08:00


São Paulo viveu no ano passado e começo deste ano uma intensa dificuldade no abastecimento de água. Apesar de negar o rodízio, muitos bairros de cidades da região ficaram sem abastecimento durante à noite, principalmente. O Estado vem se esforçando para tentar garantir o abastecimento nas cidades e, sobretudo, no Alto Tietê, cujo sistema abastece também parte da Grande São Paulo. Ontem, a fim de ampliar e garantir o abastecimento de água para a população, especialmente os moradores do ABC, zonas Sul e Leste da capital e municípios da região, duas obras foram inauguradas. Em São Bernardo do Campo, no ABC, foi entregue a obra de interligação de dois braços da represa Billings, formados pelo Rio Pequeno e Rio Grande, que terá vazão de 4 mil litros de água por segundo, podendo ser ampliada de acordo com a quantidade de chuvas. Nessa obra de 1,2 quilômetros de extensão, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) investiu R$ 20 milhões. Serão beneficiados os moradores do ABC, das zonas Leste e Sul de São Paulo e municípios do Alto Tietê. Os destaques da obra, segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), são os cuidados com a preservação ambiental e o sistema de bombeamento utilizado. Essas bombas flutuantes são uma inovação da Sabesp e o sistema de bombeamento só era usado em mineração. Então, a engenharia o adaptou e fez um trabalho impressionante e rápido. O sistema de bombeamento implantado permite superar um desnível de 11 metros existente entre os dois rios. A água captada será levada até a Estação de Tratamento de Água do Rio Grande, que abastece a população do ABC, ou bombeada novamente para a represa Taiaçupeba, no Alto Tietê. Lá a água receberá tratamento e será distribuída para as residências, prédios, comércio e indústria. Cerca de 91 mil moradores passam a ser beneficiados com a segunda importante obra de abastecimento inaugurada. O novo reservatório metálico, localizado no Bairro de Alvarenga, em São Bernardo do Campo, ampliará a capacidade de armazenamento de água em 15 milhões de litros para bairros dos municípios vizinhos, como Santo André e São Caetano do Sul. Foram investidos R$ 14 milhões na infraestrutura. No Estado de São Paulo, já são 23 equipamentos desse tipo em operação desde a crise hídrica decorrente do período de estiagem, no início de 2014. A esperança é de que esse reforço no abastecimento possa garantir maior segurança a todos os moradores do Alto Tietê. Os usuários do sistema de água da Sabesp não querem mais ter a incômoda surpresa de ter as torneiras de suas casas vazias.